A+ / A-

Pequim 2022

Rússia sob fogo depois de caso de doping de atleta de 15 anos nos Jogos Olímpicos

11 fev, 2022 - 15:10 • Redação com agências

A patinadora Kamila Valieva testou positivo num controlo em dezembro. Tribunal Arbitral do Desporto vai decidir se a jovem atleta continua, ou é banida, dos Jogos Olímpicos de inverno. Valieva venceu uma medalha de ouro e tem prevista nova aparição nos Jogos para terça-feira.

A+ / A-

A reação generalizada ao caso de doping identificado numa jovem patinador russa de 15 anos está a ser violenta, em relação ao comportamento das autoridades russas.

Kamila Valieva ajudou a equipa russa a vencer a medalha de ouro na prova de estilo livre, na segunda-feira, nos Jogos Olímpicos de inverno, em Pequim, na China.

A medalha, a continuidade da atleta e de todos os atletas russos em prova está em risco. Em causa um teste positivo de Valieva, num controlo antidoping realizado em dezembro, antes da chegada a Pequim.

Valieva é uma das atletas olímpicas mais jovens a testar positivo e a comunidade internacional está a responsabilizar treinadores, médicos e autoridades pelo sucediddo.

O diretor da Agência Antidoping dos Estados Unidos manifestou solidariedade com Valieva, mas admitiu o recurso à justiça para processar os responsáveis.

"Os atletas limpos merecem mais e esta pobre rapariga merece mais. Ela está a ser bombardeada, depois de ter sido maltratada pelo sistema russo", disse Travis Tygart, em declarações à Reuters.

A Rússia está a competir nas provas internacionais sob a bandeira do Comité Olímpico Russo. Depois de um escândalo global de atletas que faziam uso de substâncias ilegais, em múltiplas modalidades, as autoridades internacionais optaram por não banir os atletas russos.

"Ao não banir a Rússia por quatro anos, as autoridades russas não sentiram a necessidade, nem o desejo, de promover uma mudança cultural. A Agência Mundial Antidoping, o Comité Olímpico Internacional e o Tribunal Arbitral do Desporto favoreceram o poder a influência do desporto russo sobre o desporto limpo", disse Rob Koehler, antigo secretário-geral da Agência Mundial.

A substância detetada, segundo a imprensa russa, é um medicamento utilizado para tratar problemas cardíacos que não contribui para melhorar o desempenho desportivo. O teste foi alegadamente realizado em dezembro.

Enquanto os treinadores e a federação russa recusaram adiantar quaisquer comentários, o Ministério do Desporto russo considerou prematuro denunciar um caso de doping antes de uma confirmação oficial.

Valieva, campeã europeia, fez manchetes em todo o mundo quando realizou na capital chinesa pela primeira vez na história um salto quádruplo.

A patinadora de 15 anos tem nova participação nos Jogos agendada para terça-feira. Aguarda-se por uma decisão do Tribunal Arbitral do Desporto sobre o caso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+