Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Novak Djokovic vence em tribunal. Justiça australiana anula decisão do Governo e liberta sérvio

10 jan, 2022 - 07:04 • Redação

Decisão que cancelava o visto do tenista, número um mundial, foi revogada nesta segunda-feira. Situação causou tensão diplomática entre os dois países.

A+ / A-

A justiça australiana anulou a decisão do Governo de cancelar o visto de Novak Djokovic e ordenou que este fosse libertado do centro de detenção onde se encontra retido desde a chegada à Austrália.

O réu - neste caso, o Ministério de Assuntos Internos - deve pagar os custos de Djokovic conforme acordado ou avaliado, acrescentou a ordem judicial. Todos os seus pertences, incluindo o passaporte, devem ser devolvidos assim que possível.

O tenista, número um mundial, aterrou no aeroporto de Melbourne na quarta-feira à noite para participar no Open da Austrália, que decorre de 17 a 30 de janeiro. Chegou com uma isenção médica que lhe permitiria defender o seu título de sem estar vacinado.

A revogação do visto de Djokovic criou tensões diplomáticas entre a Austrália e a Sérvia.

A disputa sobre as isenções médicas concedidas pela Federação Australiana de Ténis e pelo Governo Regional de Vitória, onde se realiza o Open da Austrália, levou o Executivo de Camberra a investigar licenças semelhantes concedidas a outras pessoas que participam no torneio em Melbourne, que decorre de 17 a 30 de janeiro.

A vacina é obrigatória para entrar na Austrália, mas existem isenções temporárias para pessoas que tenham "uma condição médica grave", que não podem ser vacinadas porque contraíram Covid-19 nos seis meses anteriores ou tiveram uma reação adversa ao medicamento, entre outras razões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+