Tempo
|
A+ / A-

Associação de ténis exige “prova independente e verificável” sobre paradeiro de Peng Shuai

17 nov, 2021 - 22:02 • Lusa

Tenista terá enviado email, mas continua sem aparecer desde que fez acusações de assédio sexual.

A+ / A-

O presidente da WTA quer provas claras sobre a segurança e o paradeiro da tenista chinesa Peng Shuai, que está, aparentemente, desaparecida, apesar de um e-mail enviando à entidade a dar conta do contrário.

Peng Shuai enviou, alegadamente, um e-mail ao organismo presidido por Steve Simon para esclarecer que "as notícias do seu desaparecimento, assim como a alegada agressão sexual, não são verdadeiras".

"Tenho dificuldade em acreditar que Peng Shuai realmente escreveu o e-mail que recebemos. Peng Shuai demonstrou uma coragem incrível ao descrever uma alegada agressão sexual contra um ex-alto funcionário do governo chinês. A WTA e o resto do mundo precisam de uma prova independente e verificável de que ela está segura. Tentei repetidamente entrar em contacto com ela por meio de várias formas de comunicação, sem sucesso", disse Steve Simon, citado em comunicado.

Na nota, o presidente da Associação de Ténis Feminino considera que Peng Shuai "deve ter permissão para falar livremente, sem coerção ou intimidação de qualquer fonte", reforçando que "a denúncia de agressão sexual deve ser respeitada, investigada com total transparência e sem censura".

De acordo com o e-mail divulgado, a jogadora chinesa assegura que "não está insegura" e mantém-se em "casa", deixando claro que, se a WTA publicar mais notícias a seu respeito, o conteúdo deve ser "verificado consigo e divulgado após o seu consentimento".

No início de novembro, Peng Shuai, de 35 anos, que já foi líder do “ranking” feminino de pares, acusou nas redes sociais o ex-vice-primeiro-ministro Zhang Gaoli, atualmente com 75, de, há três anos, a ter forçado a ter relações sexuais.

Na mesma publicação, que foi retirada da rede social chinesa Weibo, Peng, que venceu 23 títulos de pares femininos, entre os quais Wimbledon, em 2013, e Roland Garros, em 2014, revelou ter tido relações sexuais com o governante, uns anos antes do incidente, e que na ocasião tinha sentimentos por Zhang Gaoli.

Nas redes sociais, foi lançado um movimento com a pergunta 'Onde está Peng Shuai', após as supostas acusações feitas pela tenista, com a comunidade do ténis a salientar que a jogadora está desaparecida há cerca de 10 dias.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+