Tempo
|
A+ / A-

Tóquio 2020

Diário dos Jogos: Mais um diploma olímpico para a coleção

02 ago, 2021 - 14:41 • Redação

Liliana Cá foi quinta no lançamento do disco e conquistou um diploma. A canoagem estreou-se com duas meias-finais (com vista para finais) e o atletismo brilhou entre as melhores. Simone Biles está de regresso, mas houve dois tombos de vulto - e um terceiro insólito, em dia com novo recorde do mundo.

A+ / A-

Veja também:


O diploma olímpico de Liliana Cá, as quatro qualificações para meias-finais, com estreia em grande da canoagem, um recordista do mundo eliminado, uma nova marca histórica alcançada, a queda das campeãs do mundo de futebol e o regresso de Simone Biles na ginástica artística são destaques desta segunda-feira dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Liliana Cá não teve a prova que quereria no lançamento do disco, mas pode culpar a chuva, que obrigou à interrupção da final e dificultou muito a prestação das várias atletas. Ainda assim, a portuguesa, estreante em Jogos Olímpicos, conquistou um meritório quinto lugar, o melhor resultado de Portugal de sempre na disciplina, e acrescentou o sexto diploma (até ao oitavo lugar) à coleção portuguesa em Tóquio.

A canoagem "sprint" estreou-se com dois apuramentos para meias-finais. Fernando Pimenta, em K1 1.000 metros, e Teresa Portela, em K1 200 metros, brilharam nas eliminatórias e nem tiveram de disputar os quartos de final. Joana Vasconcelos, na mesma prova da compatriota, não teve a mesma felicidade dos colegas e foi eliminada nos "quartos".

O atletismo também garantiu duas meias-finais. Nos 200 metros, Lorène Bazolo deixou a medalha de bronze dos 100, a jamaicana Shericka Jackson, para trás e apurou-se para as semifinais, em que depois foi sétima, terminando a sua participação no 20.º lugar geral.

Nos 1.500 metros, Marta Pen Freitas falhou a meia-final por um segundo, no entanto, o Comité Olímpico de Portugal protestou um "bloqueio" irregular. Após ponderação, a organização concordou que a atleta fora prejudicada e apurou-a para a final pela via administrativa.

Na vela, a falta de vento (o máximo previsto era o mínimo exigido de seis nós) obrigou ao adiamento da regata das medalhas de 49er, em que participam os portugueses Jorge Lima e José Costa, para terça-feira.

No panorama internacional, um episódio insólito. O pugilista irlandês Aidan Walsh falhou o combate das meias-finais devido a lesão: quando garantiu o apuramento, saltou de alegria, caiu mal e torceu um pé.

De lesões sabe, infelizmente, o sul-africano Wayde van Niekerk desde há já quatro anos. Não terá sido, portanto, tão surpreendente a eliminação do recordista do mundo dos 400 metros nas meias-finais, com um tempo distante dos dos 43,03 segundos com que fizera história em 2016.

Porque nem tudo são más notícias, a Federação de Ginástica dos EUA revelou que Simone Biles participará na final de trave. A lendária atleta, de 24 anos, falhara as finais de "all-around" (individual e por equipas), de barras assimétricas e de saltos devido a problemas de saúde mental.

Há um novo recorde do mundo dos quatro quilómetros femininos em ciclismo de pista. A Alemanha gastou 4.07,307 minutos nas qualificações da prova de perseguição por equipas e bateu por quase três segundos a anterior marca, que estava na posse da Grã-Bretanha desde 2016.

Por fim, surpresa no futebol. O Canadá eliminou as campeãs do mundo dos EUA, por 1-0, e garantiu um lugar na final, frente à Suécia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+