Tempo
|
A+ / A-

Diário dos Jogos: História na piscina, desilusão sobre rodas

28 jul, 2021 - 14:25 • Redação

Ana Catarina Monteiro assinou a melhor prestação de uma nadadora portuguesa, o cavaleiro Rodrigo Torres bateu um recorde pessoal na final de ensino equestre, os ciclistas portugueses ficaram aquém. Simone Biles voltou a desistir do "all-around", num dia muito complicado para os tenistas.

A+ / A-

Veja também:


A melhor prestação de sempre de uma nadadora portuguesa, o recorde de Rodrigo Torres, a desilusão no ciclismo, nova desistência de Simone Biles, o calor que deixou tenistas "KO" e uma suspensão por doping são destaques desta quarta-feira dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

A madrugada em Tóquio começou com o terceiro melhor resultado de sempre da natação nacional. Ana Catarina Monteiro falhou a final dos 200 metros mariposa por 75 centésimas, mas terminou a prova no 11.º lugar, melhor do que qualquer nadadora portuguesa em Olimpíadas.

Rodrigo Torres, com o cavalo Fogoso, terminou a final de ensino equestre na 16.ª posição, com recorde pessoal: fez 78,943% dos pontos.

Na canoagem, uma das modalidades que mais esperança dão a Portugal, Antoine Launay foi 12.º nas eliminatórias e apurou-se para as meias-finais de slalom. Para a final, na sexta-feira, apuram-se os 10 melhores.

Uma das desilusões de Tóquio 2020 chegou já com o sol a brilhar em Portugal. João Almeida e Nelson Oliveira falharam o "top-15" no contrarrelógio. Embora ambos sejam fortes na modalidade, o primeiro ficou em 16.º e o segundo em 21.º. A medalha de ouro ficou para o esloveno Primoz Roglic, que pulverizou a concorrência: terminou a prova com mais de um minuto de vantagem sobre o segundo classificado.

A seleção de andebol perdeu com a Suécia, vice-campeã mundial, por um golo (29-28), no entanto, mantém bem vivo o sonho da qualificação para os quartos de final. Apuram-se os quatro primeiros de cada grupo e Portugal ocupa, precisamente, o quarto lugar, com dois pontos, à frente de Bahrain, que bateu, e Japão, que defronta no domingo, ambos a zeros.

A judoca Bárbara Timo venceu na primeira ronda do torneio de -70kg. No entanto, nos oitavos de final, caiu perante a campeã do mundo. A croata Barbara Matic triunfou por ippon e acabou com o sonho da portuguesa.

Voltando à natação, Francisco Santos falhou as meias-finais dos 200 metros costas. Algo que deixa um sabor amargo, visto que o recorde nacional, por ele estabelecido, tê-lo-ia apurado para a fase seguinte.

Já no caso de Gabriel Lopes e Alexis Santos nem o recorde nacional teria garantido a presença nas meias-finais de 200 metros estilos. O primeiro até bateu o recorde pessoal, mas o "crawl", último percurso, tramou os dois nadadores portugueses, que ficaram longe do apuramento.

A dupla Jorge Lima-José Costa entrou no "top-10" ao segundo dia de 49er. Os velejadores portugueses ficaram em sexto, nono e novamente sexto nas três regatas desta quarta-feira e subiram ao nono lugar da geral.

Na estreia em Jogos Olímpicos, João Paulo Azevedo terminou o primeiro dia do strap, de tiro com arma de caça, na 17.ª posição. Só seis atiradores passam à final, mas o português não tem de ficar nervoso: com mais um dia pela frente, está apenas a dois pontos do primeiro e a um do sexto.

No panorama internacional, o destaque vai para nova desistência de Simone Biles. A ginasta norte-americana, uma das melhores da história, abdicou da final "all-around" individual, como acontecera com a de equipas, para cuidar da saúde mental. Ainda não é certo que Biles, de 24 anos, marque presença nas finais de aparelhos, de 1 a 3 de agosto.

O que afetou os tenistas foi o calor. O russo Daniil Medvedev, número dois do mundo, teve de ser assistido duas vezes e, quando o árbitro português Carlos Ramos lhe perguntou se conseguia continuar, respondeu: "Posso terminar o encontro, mas se morrer, tu responsabilizas-te?"

Ainda assim, venceu e seguiu em frente. O mesmo não aconteceu com a tenista espanhola Paula Badosa, que colapsou perante o calor e teve de desistir. Foi transportada para fora do court em cadeira de rodas.

Em dia de emoções fortes no ténis, o grego Stefanos Tsitsipas foi eliminado. O número quatro do mundo, que se lesionou no final do segundo set, perdeu com o francês Ugo Humbert por 2-6, 7-6(4) e 6-2.

Nem tudo foram notícias negativas, contudo, e houve até um episódio de justiça poética. A ciclista holandesa Annemiek van Vleuten celebrizara-se por festejar a vitória na prova de fundo, quando afinal ficara "apenas" em segundo. No contrarrelógio, não se enganou — o ouro foi mesmo para ela e pôde ouvir o hino dos Países Baixos no lugar mais alto do pódio.

As provas de atletismo ainda nem começaram, mas já mexem. O "sprinter" suíço Daniel Wilson foi suspenso provisoriamente, após ter sido apanhado com doping, e é baixa de última hora nos 100 metros.

Já em julho, Wilson tinha corrido 9.83 segundos e batido o recorde europeu dos 100 metros de Francis Obikwelu e Jimmy Vicaut (9.84). Porém, a marca não foi homologada, devido a supostos problemas com o cronómetro. A melhor marca do suíço, até então, era de 10.08 segundos.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+