Tempo
|
A+ / A-

Tóquio 2020

Diário dos Jogos: Portugal "surfa" até dois novos diplomas olímpicos em dia de despedidas

27 jul, 2021 - 14:00 • Redação

A surfista Yolanda Sequeira terminou a prova no quinto lugar e alcançou o terceiro diploma olímpico para Portugal. O quarto foi garantido pela equipa de ensino equestre, que foi oitava na final. O judoca Anri Egutidze foi eliminado à primeira e falha objetivo da medalha. Fu Yu e Marcos Freitas despediram-se do ténis de mesa com derrotas frente aos favoritos. Dia marcado por lesão de Simone Biles e eliminação de Naomi Osaka.

A+ / A-

Veja também:


Ainda sem medalhas conquistadas, Portugal chegou ao terceiro e quarto diplomas olímpicos, esta segunda-feira, nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O dia ficou, ainda, marcado pela eliminação inesperada de Naomi Osaka do ténis, a jogar em casa, e pela lesão de Simone Biles, cabeça de cartaz da ginástica artística.

A madrugada olímpica começou para Portugal com a estreia de Melanie Santos nos Jogos Olímpicos, na prova de triatlo feminina. A atleta de 26 anos terminou a prova no 22.º lugar, a seis minutos e 29 segundos da campeã olímpica Flora Duffy.

Pouco depois, Portugal garantiu o seu terceiro diploma olímpico pela surfista Yolanda Sequeira. A portuguesa foi eliminada nos quartos de final pela sul-africana Bianca Buitendag, mas apesar da eliminação, a algarvia terminou a competição no quinto lugar, que valeu o terceiro diploma, depois de Gustavo Ribeiro no skate e Catarina Costa no judo.

O quarto diploma olímpico chegou por meio da seleção portuguesa de ensino em equestre, que alcançou o oitavo lugar no Grand Prix Special. Os cavaleiros Maria Caetano, Rodrigo Torres e João Miguel Torrão conquistaram 6.965,5 pontos, que confirmaram mais um diploma.

O judoca Anri Egutidze era um dos candidatos portugueses à conquista de uma medalha na categoria de -81 kg, mas o português perdeu na estreia com o austríaco Shamil Borchashvili.

O medalha de bronze nos Mundiais disputados em junho perdeu no "golden score" e não conseguiu esconder a desilusão no final, num discurso emocionado: "O objetivo era a medalha. Perder na primeira ronda ou a disputar a medalha é a mesma coisa. Dói muito, vim para ganhar, não consigo aceitar".

Na natação, Ana Catarina Monteiro fez história e avança para as meias-finais dos 200 metros mariposa dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao conseguir o 14.º melhor tempo da qualificação. A portuguesa de 27 anos conseguiu um tempo de 2.11,45 na terceira "heat", em que ficou no quinto lugar, na estreia em Jogos Olímpicos.

Já o nadador português José Paulo Lopes foi o 23.º mais rápido da qualificação dos 800 metros livres dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, falhando o acesso à final.

Favoritos acabam com sonho no ténis de mesa

A participação portuguesa no ténis de mesa ficou também reduzida, com as eliminações de Fu Yu e Marcos Freitas.

A mesatenista portuguesa perdeu com a japonesa Mima Ito por 4-1, que já tinha conquistado uma medalha de ouro na prova mista. Fu Yu caiu pelos parciais de 11-9, 5-11, 11-5, 11-4 e 11-5. Mais tarde, Marcos Freitas não conseguiu superar o número um mundial.

Freitas perdeu com o chinês Zhendong Fan, o grande favorito ao ouro. O português ainda conseguiu conquistar um "set", mas perdeu por 4-1, pelos parciais de 11-6, 11-6, 11-2, 5-11 e 11-3.

Tufão afeta prova de vela

Os portugueses Jorge Lima e José Costa terminaram a primeira regata da categoria 49er no 11º lugar, nos Jogos Olímpicos no Japão. O início da prova foi adiado em mais de uma hora devido ao mau tempo, numa altura em que se sente em Tóquio a influência do tufão Nepartak.

Apenas foi possível disputar-se a primeira regata, sendo que as próximas duas continuam sem data definida devido ao mau tempo.

Já a velejadora portuguesa Carolina João subiu dois lugares para a 34.ª posição da classe Laser Radial dos Jogos Olímpicos, com 137 pontos, após a realização das quinta e sexta regatas em Enoshima. A competição prossegue na quinta-feira com a sétima e oitava regatas, sendo que as nona e décima se disputam na sexta-feira, antes da medal race que se realiza no domingo.

No BTT, Raquel Queirós terminou em 27º a prova de "cross-country" olímpico (XCO), modalidade que se estreou nos Jogos Olímpicos Tóquio2020. A tricampeã nacional de apenas 20 anos partiu da última fila e cumpriu os 19,25 quilómetros em 1h27m46s, a 12 minutos da medalha de ouro.

Naomi Osaka eliminada e Simone Biles lesionada

O dia ficou ainda marcado pela eliminação de Naomi Osaka, uma das caras dos Jogos Olímpicos. A tenista japonesa perdeu nos oitavos de final frente à checa Marketa Vondrousova, número 42 do "ranking" mundial, por 2-0.

A participação nos Jogos Olímpicos marcaram o regresso de Naomi Osaka ao ténis, depois de alguns meses sem competir. O último jogo oficial foi em maio, quando abandonou Roland Garros, depois de uma polémica com a organização.

Simone Biles, a grande figura da comitiva americana na ginástica artística, colocou a modalidade em alerta quando foi obrigada a desistir da final de equipas devido a uma lesão no pé, sendo que está ainda em aberto o seu futuro em relação à participação nas finais individuais na próxima quinta-feira.

O Brasil chegou ao seu primeiro ouro no surf. As previsões apontavam para que o primeiro posto fosse conquistado por Gabriel Medina, que acabou por ficar fora das medalhas. Ítalo Ferreira bateu confortavelmente o japonês Kanoa Igarashi na final, chegando à primeira medalha de ouro para os brasileiros.

Já o Turquemenistão conquistou a primeira medalha de sempre em Jogos Olímpicos, com Polina Guryeva a conseguir a prata na categoria de -59 kg na prova de halterofilismo feminino em Tóquio 2020.

[notícia atualizada às 16h44]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+