Tempo
|
A+ / A-

Jogos Olímpicos. Diretor da cerimónia de abertura demite-se por piada antissemita dita em 1998

22 jul, 2021 - 10:25 • Redação com Lusa

Kentaro Kobayashi pediu desculpa por comentário feito “quando era jovem”. É a quarta demissão de pessoa relacionada com a cerimónia de abertura em poucas semanas.

A+ / A-

O comediante Kentaro Kobayashi, um dos diretores artísticos da cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, apresentou, esta quinta-feira, a demissão, a um dia do evento, por ter ditro piadas antissemitas num espetáculo em 1998.

O novo caso em torno dos Jogos chega a um dia da própria cerimónia, seguindo-se a vários protestos contra o envolvimento do comediante, de 48 anos, que pediu desculpa pelos comentários feitos "quando era jovem".

Os organizadores discutem agora "como gerir a cerimónia de abertura", um processo que "deve ser imaculado", com Kobayashi a ter a seu cargo, até aqui, a supervisão geral das três secções do espetáculo, que se junta à abertura dos Jogos e à parada de nações.

É a quarta demissão nas últimas semanas de pessoas com altos cargos relacionados com a cerimónia.

Ainda esta semana foi o compositor designado, o músico Keigo Oyamada, conhecido por Cornelius, a demitir-se, devido a um “escândalo” com bullying que o próprio dirigiu a pessoas com deficiência.

Já o antigo presidente do Comité Organizador, Yoshiro Mori, abandonou o cargo após comentários sexistas, e o diretor criativo Hiroshi Sasaki renunciou, após comparar uma atriz a um porco.

A cerimónia de abertura de Tóquio 2020 está marcada para sexta-feira, pelas 12h00 (hora continental portuguesa), no Estádio Nacional, na capital nipónica.

Os Jogos Olímpicos vão ser disputados entre sexta-feira e 8 de agosto, após o adiamento em um ano devido à pandemia de Covid-19.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+