Tempo
|
A+ / A-

Libertadores

Palmeiras de Braga vibra com sucesso de Abel Ferreira no Brasil

30 nov, 2021 - 09:15 • Luís Aresta

Clube irmão do Palmeiras, de São Paulo, festejou no Minho, com 150 luso-brasileiros, a segunda vitória consecutiva na Libertadores

A+ / A-

Descubra as diferenças entre os dois Palmeiras, separados por cerca de 8 mil quilómetros e uma viagem aérea de quase 11 horas, mas unidos pelo triunfo segundo triunfo consecutivo de Abel Ferreira na Copa Libertadores.

Sábado à noite, tarde em Montevideu e em São Paulo, enquanto milhares de adeptos do emblema paulista festejavam o golo de Deyverson no prolongamento e a vitória (2-1) na final da Libertadores sobre o Flamengo, em Palmeira, a poucos quilómetros de Braga, uma plateia composta por centena e meia de luso-brasileiros partilhava de igual sentimento.

O motivo era simples: o irmão do Brasil, fundado em 1914, festejava mais um título. Para a contabilidade do palmarés do Palmeiras FC de São Paulo, entrava a terceira Copa Libertadores, depois dos títulos de 1999 e 2020, desta vez com sabor especial de ter sido conquistado pelo segundo ano consecutivo sob o comando do treinador português Abel Ferreira.

“Vivemos o momento de forma espetacular”, revela numa entrevista a Bola Branca Benjamin Correia, presidente do Palmeiras FC, clube filiado na Associação de Futebol de Braga.“Tivemos aqui cerca de 150 adeptos palmeirenses. Foi uma festa grande, com um ecrã gigante na sede do Palmeiras, onde comemorámos a vitória, mais uma” declara o dirigente do emblema minhoto, notoriamente orgulhoso.

Benjamim Correia vai convidar Abel Ferreira para uma homenagem simbólica na sede do Palmeiras FC, não em Água Branca, São Paulo, mas no nº 9 da Rua da Eira, às portas da cidade de Braga.

“Ainda estamos a ultimar. Isto ainda está muito verde”, declara. “A festa ainda continua em São Paulo. Espero que o Abel esteja, em breve, em Palmeira, para festejar esta vitória”. O desafio está lançado ao treinador português de 42 anos de idade.

Uma ‘suecada’ na origem de um pequeno clube, atento aos mais jovens

O Palmeiras FC, da Associação de Futebol de Braga, foi fundado a 1 de janeiro de 1965. “Dizem os mais velhos que a ideia do Palmeiras de Portugal foi recriar o Palmeiras do Brasil. Nasceu de um jogo de cartas. O emblema é muito parecido e assim nasceu o Palmeiras em 1965, para a frente, até hoje”, esclarece Benjamim Correia.

Na mesma entrevista à Renascença, o dirigente dá conta do objetivo imediato do clube que, nesta época 2021/2022, lideera o Campeonato Distrital da 1ª Divisão da Associação de Futebol de Braga.

“Penso que o Palmeiras tem condições para estar na divisão acima. Vamos lutar por ela. Estamos em primeiro e o adversário – se for melhor que nós – terá de o provar”, declara Benjamim Correia, que este domingo viu os seus jogadores regressarem de Cabanelas com uma vitória gorda (1-5), em jogo da 8ª jornada do distrital.

O Palmeiras FC beneficia de um protocolo assinado com o vizinho Sporting Clube de Braga, destinado aos escalões de formação e que o presidente da coletividade de Palmeira espera conseguir “manter por mais alguns anos”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+