Tempo
|
A+ / A-

De volta ao estádio, adeptos do Marítimo dizem sentir-se "felizes e seguros"

25 jul, 2021 - 21:24 • Lusa

Um ano e quatro meses depois o público está de volta aos recintos desportivos na Madeira, no máximo até 50% da capacidade, mediante a apresentação de um teste negativo antigénio à entrada, independentemente de ter o certificado de vacinação.

A+ / A-

Adeptos do Marítimo sentem-se "felizes" por poder assistir hoje ao jogo da equipa da I liga portuguesa de futebol, ao fim de um ano e quatro meses, e ressalvam o ambiente "seguro" com a obrigatoriedade de apresentar teste negativo.

O Marítimo recebeu este domingo o Boavista, às 18h00, em jogo da primeira fase da Taça da Liga, a primeira partida oficial das duas equipas na nova temporada.“Mesmo estando vacinado ou não acho que é importante toda a gente ser testada. Foi muito simples e rápido e em cinco minutos tínhamos o resultado. Assim o ambiente é sem dúvida mais seguro”, destacou Sandra Silva, de 22 anos, enfatizando que “é muito bom estar de volta a casa”.

Os leões do ‘Almirante Reis’ tiveram público pela última vez no estádio dos Barreiros a 1 de março de 2020, para a 23.ª jornada do campeonato, num encontro diante do Sporting de Braga, com 6.530 adeptos, algo que não voltou a acontecer devido à pandemia de covid-19.

Um ano e quatro meses depois o público está de volta aos recintos desportivos na Madeira, no máximo até 50% da capacidade, mediante a apresentação de um teste negativo antigénio à entrada, independentemente de ter o certificado de vacinação, conforme a norma da Direção Regional de Saúde publicada na quarta-feira.

“Estamos a atravessar um tempo difícil por causa da covid-19, por isso, é melhor assim, é mais seguro”, explicou Maurício Silva em declarações à agência Lusa.

Nas imediações do Estádio do Marítimo foi montado um posto de testagem, que funcionou sábado e domingo, a menos de uma hora para o encontro da Taça da Liga entre os ‘verde rubros’ e o Boavista, foram realizados cerca de 500 testes, todos com resultado negativo, disse à Lusa fonte dos profissionais de saúde.

Os adeptos do Marítimo vão poder assistir hoje ao encontro entre os ‘verde rubros’ e o Boavista para a primeira fase da Taça da Liga, e não podiam estar mais “felizes”, mas também “seguros” à conta da obrigação de testes negativos para entrar no recinto.

Há quem não concorde com a testagem obrigatória para quem já possui o certificado de vacinação, como Cláudio André, de 30 anos, que defende “não haver necessidade para quem já está imunizado”.

A animação é notória de quem ansiava há muito o regresso, mas a quantidade de alterações na equipa é o tema mais comentado à entrada do recinto.

Com 12 entradas e cerca de 16 saídas do plantel principal madeirense, há quem receie que sejam “muitas mexidas”.

“A quantidade de alterações que houve no plantel pode influenciar a época visto que a equipa ainda está muito ‘verde’, os jogadores ainda não se conhecem muito bem”, apontou Cláudio André.

Há quem ainda suspire por atletas que já não representam o emblema insular, como Sandra Silva, que questiona se as novas aquisições para a baliza maritimista estarão à altura “do legado de Amir”.

E, há quem acredite que o jovem guarda-redes Pedro Teixeira, de apenas 19 anos, esteja “pronto para voar”.

Maurício Silva sublinhou que “está época o Marítimo vai lutar pelo quinto ou sexto lugar”, confiança que se sente ao redor do recinto desportivo, com os adeptos maritimistas a acreditarem que “para trás ficam as más épocas” e que este ano “vai ser diferente”.

Cerca de 20 seguranças e elementos policiais estão nas entradas delimitadas do recinto, para assegurar que são respeitadas todas as medidas de segurança.

No interior do estádio estão abertas as bancadas Nascente, Sul e Norte com a seguinte delimitação: o banco de cor verde está disponível para assistir ao jogo e o banco vermelho está interdito, de modo a cumprir o distanciamento social.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+