Tempo
|
A+ / A-

Lacerda Sales

Regresso do público aos estádios não é garantido. "Tomaremos as decisões nos momentos certos"

08 jul, 2021 - 18:33 • Redação

Secretário de Estado da Saúde diz que regresso do público está "a ser trabalhado". "Estamos atentos à matriz de risco e à evolução epidemiológica", disse.

A+ / A-

O regresso dos adeptos ao estádios do futebol profissional ainda não é um dado garantido, anunciou António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde.

"Temos de ser cautelosos quando trabalhamos essa matéria. Já estamos a trabalhar nesse sentido e estamos atentos à matriz de risco e à evolução epidemiológica. Temos de ter cuidado com a evolução epidemiológica e a vontade de normalizar a vida coletiva. É nesse equilÍbrio que temos de tomar essas decisões. Tomaremos as decisões certas nos momentos certos", disse, em declarações na cerimónia do arranque da temporada.

O governo tinha anunciado o regresso do público aos estádios, numa lotação de 33%, desde o dia 28 de junho. No entanto, o aumento dos casos de Covid-19 e da propagação da variante Delta no país pode levar o Governo a repensar a medida.

João Paulo Rebelo, secretário de Estado do Desporto, acredita que será possível o regresso do público.

"O interesse que o público regresso aos recintos desportivos é meu desde a primeira hora. Neste momento é possível, não para o futebol profissional, mas pese embora os números que estamos a conhecer, vemos outros mais entusiasmantes, como o apelo à vacinação dos mais jovens. Aproximam-nos da luz ao fundo do túnel. As medidas do Conselho de Ministros vão neste sentido, ou com vacinação, ou com o certificado do teste", explica.

Uma temporada inteira sem adeptos

Os adeptos têm estado longe das bancadas desde março de 2020, quando foi suspensa toda a prática de desporto em Portugal, incluindo o futebol profissional, com a entrada em vigor do primeiro estado de emergência.

Na Região Autónoma dos Açores, chegou a haver eventos desportivos, nomeadamente jogos do Santa Clara, com público, contudo tal não se repetia no continente, nem na Madeira. Em outubro, houve três jogos-piloto e dois desafios da seleção portuguesa de futebol com presença de adeptos, como teste, e o FC Porto recebeu público num encontro da Liga dos Campeões. Porém, a segunda vaga da pandemia do novo coronavírus deitou quaisquer planos de retoma da assistência por terra.

A 27 de fevereiro e 13 de março, o Santa Clara recebeu Paços de Ferreira e Portimonense, respetivamente, com adeptos nas bancadas, em virtude das medidas impostas nos Açores. Foi a primeira e última vez que se viu tal coisa em 2021. Quando o número de casos de Covid-19 no arquipélago voltou a crescer, o Estádio São Miguel voltou a estar fechado ao público.

A 29 de maio, o Estádio do Dragão recebeu a final da Liga dos Campeões com 16.500 adeptos espectadores nas bancadas, entre Chelsea e Manchester City.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+