Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Braçadeiras arco-íris no Mundial. Alemanha admite levar FIFA a tribunal

23 nov, 2022 - 12:17 • Redação com Lusa

Os capitães de sete seleções iam usar braçadeiras arco-íris, da iniciativa "One Love", contra a discriminação.

A+ / A-

Veja também:


A Federação Alemã de Futebol (DFB) admite levar a FIFA a tribunal por ter proibido a utilização das braçadeiras "One Love" ("um amor"), contra a discriminação, por parte dos capitães das seleções, durante o Mundial.

Os capitães de sete seleções iam usar braçadeiras arco-íris, da iniciativa "One Love", contra a discriminação e, em especial, de apoio à comunidade LGBTQ+, dado que, no Qatar, a homossexualidade é proibida. Contudo, a FIFA ameaçou com consequências desportivas, incluindo cartões amarelos e possíveis suspensões, e as federações acabaram por desistir da ideia. Agora, a DFB estuda ação legal.

"A FIFA proibiu-nos de defender a diversidade e os direitos humanos. E fê-lo com ameaças massivas de sanções desportivas, sem especificá-las. A Federação está a verificar se essa ação é legal", explica Steffen Simon, porta-voz da DFB.

Segundo o jornal "Bild", a DBF vai mesmo fazer queixa contra a FIFA junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD).

Esta quarta-feira, no jogo de estreia no Mundial, frente ao Japão, os jogadores da seleção da Alemanha taparam a boca, na fotografia de grupo, em protesto com a FIFA e com o Qatar.

"Proibir a braçadeira é como calar as nossas bocas", sublinhou a DFB, em comunicado no Twitter.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+