Tempo
|
A+ / A-

Ucrania quer que a FIFA retire o Irão do Mundial do Qatar

31 out, 2022 - 19:53 • Lusa

Em causa está o apoio militar dado pelo Irão à Rússia.

A+ / A-

A federação ucraniana de futebol (UAF) instou a FIFA a afastar o Irão do Mundial 2022, a disputar entre 20 de novembro e 18 de dezembro, alegando violação dos direitos humanos e apoio militar à Rússia com armamento.

A UAF pede a retirada do Irão da competição, na qual a seleção comandada pelo português Carlos Queiroz vai defrontar Inglaterra, Estados Unidos e País de Gales, no Grupo B da prova que vai ser disputada no Qatar.

No entanto, o comité executivo da UAF não apresenta a seleção ucraniana como substituta da iraniana, ao contrário da sugestão feita pelo Shakhtar Donetsk, na semana passada.

Em 24 de outubro, o diretor-geral do Shakhtar Donetsk, Sergei Palkin, pediu à FIFA para substituir o Irão pela Ucrânia no Mundial 2022 de futebol, como forma de penalizar o país asiático pelo apoio prestado à invasão da Rússia, através do fornecimento de drones.

"Enquanto os dirigentes iranianos se divertirão a assistir aos jogos da sua seleção nacional no Campeonato do Mundo, os ucranianos estarão a ser mortos por drones e mísseis iranianos", observou Sergei Palkin, em comunicado publicado nas redes sociais.

A FIFA não comentou estas propostas e, normalmente, não suspende federações-membro por decisões militares de um governo nacional.

A União Europeia já aprovou sanções contra pessoas e entidades iranianas pelo fornecimento de drones 'kamikaze' à Rússia, utilizados em ataques contra civis na Ucrânia, o que tem sido negado de forma veemente pelo Irão.

A ofensiva militar lançada em 24 de fevereiro causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,7 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.306 civis mortos e 9.602 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reai

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+