Tempo
|
A+ / A-

João Eduardo Correia

​“Abel Ferreira é o favorito para ser selecionador do Brasil”

22 jun, 2022 - 10:15 • Pedro Azevedo

João Eduardo Correia, treinador adjunto do Vasco da Gama, aponta o treinador português do Palmeiras ao comando da seleção Brasil, quando Tite deixar a equipa canarinha após o Mundial do Qatar.

A+ / A-

O Brasil terá de escolher selecionador após o Mundial do Qatar, que se realiza em novembro e dezembro de 2022. O atual selecionador da equipa canarinha vai sair e o nome de Abel Ferreira, atual comandante do Brasileirão, é apontado à sucessão, a par de Cuca, treinador campeão pelo Atlético Mineiro na época passada.

Nunca um treinador estrangeiro orientou a seleção do Brasil, mas João Eduardo Correia, treinador português que trabalha no Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, acredita que Abel Ferreira será o primeiro.

”O Tite irá sair no fim do Mundial e acredito que o próximo selecionador será o Cuca ou o Abel. Na minha opinião o Abel é o favorito. Eu sinto-o aqui no Brasil como um ídolo. Já não acredito que neste momento o Jorge Jesus esteja dentro da decisão. O Abel Ferreira seria bem aceite pela maior parte das pessoas do Brasil . E acredito que esse possa ser um dos objetivos dele e da sua equipa técnica”, refere, em entrevista a Bola Branca.

Abel Ferreira e Vitor Pereira na luta pelo Brasileirão

Com 13 jornadas do Brasileirão, o Palmeiras, de Abel Ferreira, comanda com três pontos de vantagem sobre o Corinthians, de Vítor Pereira. João Eduardo Correia aposta num triunfo português na presente época no campeonato brasileiro.

“Acredito que um português esta época será o campeão do Brasil. Na minha opinião, Palmeiras e Corinthians são os favoritos. Talvez o Palmeiras seja mais favorito, não por ser uma equipa individualmente melhor, mas pelo trabalho do Abel de excelência que irá ficar para a história. Acredito que neste momento o Palmeiras está mais preparado para a longevidade do campeonato brasileiro e que possam ser campeões”, antevê.

A moda dos treinadores portugueses

Nunca o Brasileirão teve tantos treinadores portugueses. Com a saída de Paulo Sousa do Flamengo são quatro: Abel Ferreira (Palmeiras), Vítor Pereira (Corinthians), Luis Castro (Botafogo) e António Oliveira (Cuiabá).

“Os treinadores portugueses estão na moda mas se houver um brasileiro que tenha mais sucesso, a moda vai mudar outra vez. E se houver 20 treinadores portugueses na Série A quatro irão descer. Não olho para o treinador pela nacionalidade mas pela qualidade. Há treinadores portugueses muito bons e talvez tenhamos uma das melhores escolas do mundo. Mas há também bons treinadores brasileiros como é exemplo o Maurício Souza com quem estou a trabalhar agora ou o Alberto Valentim com quem aprendi muito. Treinador não tem nacionalidade. Isso não me diz muito”, declara João Eduardo Correia.

João Correia, de 28 anos, é adjunto do Vasco da Gama, clube que tenta regressar ao Brasileirão, depois de ter caído para a Série B esta temporada. É a segunda experiência do treinador português no Brasil, depois de ter sido adjunto do Cuiabá.

Antigo treinador principal do Olivais e Moscavide e do Oeiras, passou também por equipas técnicas do AEK, escalões de formação do Benfica, Loures, 1.º Dezembro e Estoril.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+