Tempo
|
A+ / A-

UEFA

Golos fora deixam de valer por dois em 2021/22

24 jun, 2021 - 14:43 • Redação

UEFA considera que a vantagem de jogar em casa já não é significativa, hoje em dia, e que a regra dos golos fora tinha agora um efeito contrário ao propósito com que fora criada.

A+ / A-

A UEFA anunciou, esta quinta-feira, o fim da regra dos golos fora nas competições europeias de clubes já a partir da época 2021/22.

Conforme a regra até em vigor desde 1965, nas eliminatórias das provas europeias, um golo marcado fora de casa vale por dois. Pegue-se no exemplo do FC Porto-Juventus, dos oitavos de final da Liga dos Campeões 2020/21. Os dragões venceram por 2-1 em casa, na primeira mão, mas perderam por 3-2 em Turim, o que deixava a eliminatória empatada a 3-3. Seguiram em frente pelos golos fora — dois, contra um dos italianos.

A partir de agora, deixa de ser assim. Se a eliminatória estiver empatada em golos, o jogo da segunda mão seguirá para prolongamento e, se a igualdade se mantiver, para a decisão por grandes penalidades.

Jogar em casa já não tem o mesmo peso


A UEFA explica que "vários fatores diferentes" influenciaram a decisão de abolir a regra dos golos fora, entre os quais a melhor qualidade e tamanho regularizado dos relvados, melhores condições de segurança, melhor arbitragem com mais tecnologias de apoio, entre outros.

Citado pelo site do organismo, o presidente da UEFA reconhece que, hoje em dia, "o impacto da regra é contrário ao seu propósito original".

"Agora, dissuade as equipas da casa, especialmente na primeira mão, de atacar, pois temem que, se sofrerem um golo, darao ao adversário uma vantagem crucial. Também se critica a injustiça, especialmente no prolongamento, de obrigar a equipa da casa a sofrer dois golos se a equipa visitante tiver marcado. É justo dizer que a vantagem de jogar em casa já não é tão significativa como dantes", refere Aleksander Ceferin.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+