Tempo
|
A+ / A-

Leandro Castán

"Sá Pinto estava sempre a gritar no banco, desesperado"

07 mai, 2021 - 09:55 • Redação

Leandro Castán, capitão do Vasco da Gama, fala da passagem do treinador português pelo clube. Central diz que não houve problemas de relacionamento, mas afirma que Sá Pinto "não conhecia os jogadores, nem o futebol brasileiro".

A+ / A-

O capitão do Vasco da Gama, Leandro Castán, diz que Sá Pinto, treinador que esteve no clube na época passada, não passou confiança à equipa. O central brasileiro diz, no podcast GE Vasco, que o técnico português "estava sempre a gritar, desesperado" nos jogos e não conhecia os jogadores.

Castán esclarece que "não houve problema de relacionamento" com Sá Pinto, "mas em campo não estava a funcionar".

"Ele não conhecia o nosso grupo e eu disse-lhe isso. Ele não conhecia o futebol brasileiro e falo tranquilamento, porque disse-lhe isso na cara", revela.

Castán conta, ainda, que disse a Sá Pinto que ele "não dava confiança para os meninos". "A gente olha para o banco e vocês está sempre a gritar, desesperado", acrescenta.

O central, de 34 anos, que passou, entre outros, pela Roma, critica a forma como a equipa jogava, "era de chutão para a frente", e diz que agora, com Marcelo Cabo, o Vasco já tem outro tipo de futebol que beneficia as características dos jogadores que formam o plantel e "faz crescer os meninos".

Ricardo Sá Pinto treinou o Vasco da Gama na época passada. Entrou com o campeonato em andamento, já depois de a equipa ter sido orientada por Abel Braga e Ramon Menezes. Foi demitido após 15 jogos e substituído por Vanderlei Luxemburgo. O clube acabou por descer à segunda divisão brasileira.

Sá Pinto, entretanto, foi contratado pelos turcos do Gaziantep, que deixará no final da época, como revelou. A equipa está no 8.º lugar do campeonato.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+