Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Mundial 2022

Selecionador do Gana diz que "penálti de Ronaldo foi uma prenda do árbitro"

24 nov, 2022 - 19:01 • Redação

Otto Addo não concorda com decisão de grande penalidade sobre Cristiano Ronaldo, mas vai torcer para Portugal vencer o Uruguai para que o Gana ainda possa "sonhar com o segundo lugar".

A+ / A-

Otto Addo, selecionador do Gana, afirma que o penálti que dá origem ao primeiro golo da seleção nacional é "uma prenda do árbitro".

Em conferencia de imprensa depois do fim do jogo, o treinador da seleção africana não poupou nas críticas ao árbitro norte-americano Ismail Elfath.

"Penso que o árbitro não tomou a decisão certa no lance do penálti. Tentei falar com ele depois do jogo, mas disseram-me que não era possível. Se alguém marca um golo, parabéns, mas foi com prendas especiais dos árbitros", disse.

O videoárbitro Bola Branca concorda com a opinião do selecionador Otto Addo: o penálti sobre Ronaldo é mal assinalado.

No entanto, Paulo Pereira acredita que Seidu deveria ter sido expulso no Gana e que há uma grande penalidade por marcar a favor de Portugal no primeiro tempo, num lance com João Félix.

Otto Addo diz que a derrota é "claramente desapontante". "Sabíamos que Portugal era bom em posse, mas fomos bons a defender. Quando marcaram, tudo mudou e torna-se complicado contra uma equipa de classe mundial. Fomos corajosos e ficámos perto do 3-3. "Ainda temos uma hipótese. Queremos vencer a Coreia e que Portugal vença o Uruguai para ainda pensarmos em ser segundos".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+