Tempo
|
A+ / A-

Ricardo Ferreira

"Patrício não fez nada para perder o lugar na seleção"

17 jun, 2022 - 09:15 • Sílvio Vieira

Em entrevista à Renascença, o guarda-redes Ricardo Ferreira fala de uma luta em aberto pela titularidade na baliza de seleção portuguesa, entre Diogo Costa e Rui Patrício. Diogo fez tudo para agarrar o lugar; Patrício nada fez para o perder.

A+ / A-
Rui Patrício luta com Diogo Costa pela titularidade na seleção nacional Foto: Rodrigo Antunes/EPA
Rui Patrício luta com Diogo Costa pela titularidade na seleção nacional Foto: Rodrigo Antunes/EPA
Diogo Costa estreou-se a titular pela seleção frente à Turquia em março Foto: Pedro Fiúza/NurPhoto/Reuters
Diogo Costa estreou-se a titular pela seleção frente à Turquia em março Foto: Pedro Fiúza/NurPhoto/Reuters

Ricardo Ferreira considera que Rui Patrício "nada fez" para perder a titularidade na seleção nacional, mas entende a ascensão de Diogo Costa, pela "época fantástica" que fez no FC Porto.

Apesar de Diogo Costa ter sido opção nos jogos do "play-off", o atual guarda-redes do DAC, da Eslováquia, defende, em entrevista à Renascença, que, "não podemos dizer que será no Mundial será o Patrício ou Diogo de 'caras'" o dono da baliza portuguesa.

"Temos ali uma luta saudável. Não sei qual será o titular no Mundial, mas acredito que o Fernando Santos tem ali uma dúvida muito grande", refere.

Os quatro jogos que Portugal realizou para a Liga das Nações, em junho, não serviram de pistas para determinar quem será a escolha de Fernando Santos, com o treinador a dividir as partidas pelos dois.

O que Ricardo reforça é que Rui Patrício, guarda-redes com mais jogos na história da seleção, jamais deverá ser descartado, até porque fez uma época a um nível que lhe permitiria segurar a titularidade.

"Acho que o Diogo Costa fez uma época fantástica, mas não podemos esquecer que 'São Patrício', que também fez uma grande época e tem uma história muito grande. Acho que o Patrício não fez nada para que possamos pensar em tirá-lo do lugar que, não sendo dele, tem sido dele. Ele tem feito por merecer para ser dele. Tem dado garantias e hoje se Portugal tem um Campeonato da Europa e uma Liga das Nações a muito devemos também ao Patrício. Claro que não vivemos só do passado, mas o presente do Patrício continuar a ser muito bom. Ainda agora na final da Conference League ele o provou", comenta.

Além da visão sobre o presente da seleção nacional, Ricardo também olha para a frente e aí, não tem dúvidas, há qualidade garantida. Diogo Costa (22 anos) e Luís Maximiano (23) são os guarda-redes que Ricardo "convoca" para o futuro.

Ricardo Ferreira, de 32 anos, é guarda-redes do DAC, da Eslováquia, clube para o qual se transferiu em janeiro, após nove épocas e meia no Portimonense. Campeão da II Liga pelos algarvios, Ricardo é o guarda-redes com mais jogos realizados pelo clube (231). Tem 90 jogos na I Liga.

Formado no Sporting de Braga, passou por Olhanense, Marítimo B, Marítimo e Portimonense, antes da primeira experiência no estrangeiro, pelo DAC.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+