Tempo
|
A+ / A-

Mundial 2022

Fernando Santos: "Se não cumprir objetivo, saio"

17 nov, 2021 - 21:02 • Redação

O selecionador acredita na qualificação para o Qatar e acrescenta: "Sou o homem certo para continuar ao serviço da seleção nacional".

A+ / A-

O selecionador Fernando Santos demite-se se Portugal não conseguir a qualificação para o Mundial 2022.

"Se não for apurado nos 'play-offs', sairei por minha iniciativa. No dia em que algum objetivo não for cumprido, nem haverá conversa. Saio pelo meu próprio pé. Há um compromisso assumido com Fernando Gomes. Enquanto formos cumprindo objetivos, vamos continuar juntos. No dia em que não cumprir, eu saio", disse.

O contrato de Fernando Santos tem duração até 2024. Técnico tem a convicção de que não haverá falhanço no "play-off" e que Portugal estará no Qatar.

Em entrevista à TVI, o técnico nacional prometeu "alterar" algumas coisas na forma de jogar da equipa das quinas, nomeadamente contra 3 centrais, e "vamos colocar os jogadores de uma forma clara, para se sentirem confortáveis, independentemente do adversário".

O campeão da Europa de 2016 confirma que "tem havido muita oscilação [nas exibições] desde 2018. Os dois últimos jogos foram maus [Irlanda e Sérvia]". Também a partida contra a Alemanha [do Euro 2020] foi "muito mau".

Fernando Santos garante que continua "excelente" a relação com os jogadores. "A minha relação pessoal e profissional com os jogadores é excelente. Tenho 34 anos de treinador, já passei por muitas coisas. Quando os jogadores não jogam assiduamente, há sempre alguma azia. Eu ficaria muito preocupado se os jogadores da seleção que não jogam com regularidade ficassem satisfeitos. A mensagem para os jogadores continua a passar".

O mesmo com o presidente da Federação, Fernando Gomes. "Desde que entrei para a Federação Portuguesa de Futebol, em 2014, sempre falámos e analisamos. Sempre, em todas as circunstâncias, falámos. Ele [Fernando Gomes] é extremamente exigente e eu também sou muito exigente comigo. A seguir a isso, para além das nossas conversas diárias, sempre a seguir a estes momentos fazemos uma reflexão individual. Ontem conversámos sobre as nossas reflexões e o que entendemos é que sou o homem certo para continuar ao serviço da seleção nacional e juntos levarmos Portugal ao Mundial", acrescenta.

Portugal perdeu com a Sérvia no último jogo de qualificação para o Mundial e vai agora ter de disputar o "play-off" em março de 2022.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    18 nov, 2021 ÍLHAVO 12:52
    Tudo bem! Só que ainda ninguém deve ter entendido qual o objectivo que o próprio fixou, o guia, e publicamente apregoou: o de provar que a equipa é mesmo CANDIDATA a, ao menos, fazer boa figura no Mundial (ou em qualquer outra competição em que participe), chegue ou não longe, ou de provar que fica (neste caso, no Dubai) até ao fim, porque comprou bilhete para a bancada (para poder ver como se joga) e marcou as correspondentes viagens.
  • Petervlg
    18 nov, 2021 Trofa 08:44
    Quando se pede união, temos os órgãos de comunicação a fazer manchetes, a tentar, a todo o custo criar problemas.

Destaques V+