Tempo
|
A+ / A-

Transferência de Horta para o Benfica presa por acerto de Jorge Mendes com o Málaga

09 ago, 2022 - 12:45 • Sílvio Vieira , Luís Aresta

O agente terá direito a uma percentagem da venda, decorrente de acordo aquando da transferência do avançado, do Vitória de Setúbal para o Málaga.

A+ / A-

A percentagem que Jorge Mendes reclama do Málaga, pela transferência de Ricardo Horta para o Benfica, é nesta altura o único entrave para que o jogador seja oficializado na Luz. Segundo apurou a Renascença, há acordo total entre Braga, Benfica e Horta. Todos estão de acordo para que a transferência seja oficializada a qualquer momento.

O obstáculo, neste momento, prende-se com o valor que a Gestifute reclama ao Málaga. Quando Ricardo Horta saiu do V. Setúbal para o Málaga, em 2014, Jorge Mendes terá assegurado uma percentagem sobre uma futura venda do avançado.

É essa percentagem que está em discussão entre o empresário e os dirigentes do Málaga. É o detalhe que falta esclarecer para que Ricardo Horta seja anunciado oficialmente como reforço do Benfica.

O clube espanhol reclama 67% dos direitos económicos do jogador, percentagem que reservou quando transferiu Horta, em definitivo, para o Braga em 2018. Jorge Mendes, como foi noticiado, passou a ser parte envolvida no negócio, devido ao acordo que celebrou com o Málaga em 2014 e não por representar o avançado que é agenciado por Carlos Gonçalves, da ProEleven.

Horta aguarda pelo acerto do seu antigo clube com Jorge Mendes para reforçar o Benfica. Os encarnados pagarão 15 milhões de euros e cedem Gil Dias ao Braga para garantir a contratação do internacional português.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+