Tempo
|
A+ / A-

Operação Cartão Vermelho

Benfica admite avançar com um pedido de indemnização civil

02 fev, 2022 - 17:07 • Redação

A hipótese é admitida pelos advogados dos encarnados, Rui Patrício, João Medeiros e Paulo Saragoça da Matta, em declarações ao "ECO".

A+ / A-

O Benfica admite avançar com um pedido de indemnização civil devido aos danos que o clube possa ter sofrido na Operação “Cartão Vermelho”.

A hipótese é admitida pelos advogados dos encarnados, Rui Patrício, João Medeiros e Paulo Saragoça da Matta, em declarações ao "ECO".

A equipa da Luz ainda não se constitui como assistente no processo, mas ainda tem essa possibilidade, explicam os advogados.

"[O Benfica] Tem prazo para o fazer - durante toda a fase de inquérito e até depois dela - e também porque está a aguardar o desenvolvimento e a conclusão da auditoria em curso, para tomar decisões e iniciativas sobre essa matéria com mais e melhor informação. A recomendação jurídica que fizemos ao presidente e à administração da SAD foi no sentido de aguardar", afirmaram.

A defesa do Benfica está a fazer-se "requerendo o ressarcimento de danos que possa ter sofrido". "Isso faz-se através da apresentação de um pedido de indemnização civil, e para isso nem sequer é necessário ser assistente (assistente e lesado/demandante são coisas diferentes, embora a mesma pessoa singular ou coletiva possa ter as duas posições processuais), e é certo também que agora nem sequer seria o momento processual adequado para esse pedido."

Os advogados acrescentam que “não estando ainda concluída a auditoria, não há nada para requerer. Toda a colaboração pedida pelo MP [Ministério Público] tem sido prestada dentro do que está ao alcance, pelo que agora a constituição como assistente não acrescentaria nada desse ponto de vista".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ANTONIO GONCALVES FE
    02 fev, 2022 Queijas 17:53
    ERA TÃO QUERIDO

Destaques V+