Tempo
|
A+ / A-

Jorge Jesus: "Qualquer treinador gostaria de treinar a seleção brasileira"

22 nov, 2021 - 14:30 • Sílvio Vieira

O treinador do Benfica abordou a possibilidade de receber um convite da Confederação Brasileira de Futebol. Suspeita que não vai chegar, mas sobre o seu futuro deixa uma certeza: "Hoje sou eu que escolho quem quero treinar".

A+ / A-

Jorge Jesus não "pisca o olho" ao cargo de selecionador brasileiro, mas assume que se trata de uma das cadeiras de sonho de todos os treinadores do mundo.

Questionado sobre a possibilidade de receber um convite para assumir a seleção do Brasil, após o Mundial 2022, Jesus começa por sublinhar que não acredita que isso aconteça, mas a acontecer seria inédito.

"Nunca um estrangeiro treinou a seleção do Brasil e penso que também não vou ser eu. Agora, qualquer treinador do mundo gostaria de treinar a seleção do Brasil", diz o técnico do Benfica, esta segunda-feira, durante a conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Barcelona, para a Liga dos Campeões.

Uma garantia que deixou, a propósito do tema, é que, neste ponto da sua carreira, o seu futuro está nas suas mãos: "No início da minha carreira não era bem assim, mas hoje sou eu que escolho quem quero treinar".

Com contrato com o Benfica até ao final da época, e já depois de ter sido associado a interesse do Flamengo, o treinador foi também questionado sobre a sua situação no clube, caso regresse de Barcelona já sem hipóteses de qualificação para os oitavos de final da Liga dos Campeões.

Jesus sublinha que o jogo de terça-feira "não interfere em nada com o meu contrato". O Benfica, ganhando ou empatando, continuará na luta pelo apuramento para a próxima fase da Champions. Se perder, deixa de ter possibilidades de apuramento, podendo seguir para a Liga Europa.

O Barcelona-Benfica é na terça-feira, às 20h00. Jogo com relato na Renascença e acompanhamento ao minuto em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+