Siga-nos no Whatsapp

Federação silencia entrevistas com árbitros agredidos

21 jun, 2023 - 07:00 • Eduardo Soares da Silva , João Carlos Malta

A Renascença tentou entrevistar dois árbitros que foram vítimas de agressões, mas o Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol não permitiu. A Associação de Árbitros compreende decisão, mas não concorda.

A+ / A-

O Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) não permite entrevistas com árbitros agredidos durante a sua atividade.

A Renascença convidou dois árbitros – um no ativo e outro já retirado, mas com funções de observador do CA -, a relatarem as agressões que foram vítimas. Ambos mostraram-se disponíveis para recordar os incidentes, mas os pedidos não passaram pela autorização do Conselho de Arbitragem.

A Federação tutela a arbitragem das provas nacionais, o que corresponde aos campeonatos da I e II Ligas, Liga 3, Campeonato de Portugal, Taça de Portugal e Taça da Liga no que diz respeito ao futebol masculino sénior.

Liga Revelação e campeonatos nacionais de formação a partir do escalão de sub-14 são também provas organizadas pela FPF e, por isso, com a gestão da arbitragem nessas competições.

Restam as competições distritais, com responsabilidade das Associações de Futebol locais e com organismos próprios de arbitragem. Todos os árbitros começam carreira inseridos neste contexto, antes de serem promovidos às competições nacionais.

APAF compreende, mas não concorda

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) acredita que está na hora de comunicar de uma forma diferente.

Luciano Gonçalves, presidente da APAF, não concorda com a decisão do Conselho de Arbitragem, mas compreende o motivo.

"Eu percebo o princípio, mas não concordo. A ideia subjacente é a da defesa do árbitro. Para que não se dê esse relevo, se banalize e fragilize ainda mais a posição do árbitro. Acho que deveríamos ultrapassar isto, mas percebo a gestão para evitar expor o árbitro no fim de semana seguinte a outros comentários", diz.

A Renascença entrevistou João Costa, jovem árbitro da Associação de Futebol de Coimbra, cujo conselho de arbitragem local permitiu a entrevista e disponibilizou o apoio necessário.

João foi agredido no dia 5 de fevereiro deste ano, numa partida entre o União de Coimbra B e o Eirense. Foi atingido com uma pedra no olho no final do jogo e, de seguida, foram-lhe arremessados ovos enquanto era assistido. O caso está ainda a ser julgado.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • couto
    13 dez, 2023 esposende 20:07
    convidem e ponham a apiter o cannelas Vao sair daqui bons.vao vao
  • Francisco Jorge Gabriel da Silva
    21 jun, 2023 Algarve 12:24
    Quando não se convive bem com a verdade é assim...

Destaques V+