Siga-nos no Whatsapp

Euro2024

​⚽ A volta ao Euro em 90 segundos. Com o esparguete não se brinca, nem com os nossos geniais hermanos

16 jun, 2024 - 10:15 • Hugo Tavares da Silva

Esta é a newsletter diária de Bola Branca para o Euro2024, que se vai jogar entre 14 de junho e 14 de julho.

A+ / A-

Sabemos que estamos a viver um mês especial quando vemos um italiano de joelhos, nas ruas de Dortmund, a implorar pela compreensão alheia. Um albanês, munido de dezenas de fios de esparguete hirtos como árvores e prestes a esquecer que eram hirtos como árvores, ameaçou partir aquele molho. E partiu.

Essa heresia teve contornos de maldição neste Euro2024, já que a Albânia marcou à Itália o golo mais rápido de sempre em fases finais de Europeus. Os italianos, com um intratável Chiesa-filho-de-Enrico, acabariam por virar o jogo, lançando para a ribalta Riccardo Calafiori, que começa a fazer os futeboleiros nostálgicos esfregarem as mãos: defesa, bom futebolista, melena jeitosa, camisola 5… (a malta está com saudades de Maldini, Nesta e Cannavaro, pronto).

A Espanha, que viu Yamine Lamal tornar-se no mais jovem de sempre nesta torneio, fez o seu trabalhinho contra a Croácia e a Suíça apareceu como no verão de 2021, impecável a morder os outros, porém melhor ainda com bola, e ganhou à frágil Hungria. Mais vale dar uma espreitadela no resumo do dia, um artigo assinado pelo comentador e analista Francisco Sousa.

O Pedro Castro Alves, o repórter da Renascença enviado à Alemanha, viu o primeiro treino de Portugal no Hotel Klosterpforte, em Marienfeld. Por lá, testemunhou um espanhol com as mãos atrás das costas e sentiu a textura do vento e da chuva. E ainda ouviu Diogo Dalot.

🕹️ O futebol foi isto

Suíça 3-1 Hungria. Os helvéticos, como já referimos, voltam a aparecer a um nível muito interessante. Na retina fica a malandrice dos avançados Vargas, Ndoye e Duah.

Espanha 3-0 Croácia. Dizem os sábios da estatística que, passados mais de 100 jogos, os espanhóis tiveram menos bola num jogo de futebol. Modric, Kovacic e Brozovic não foram suficientes para a genialidade de Yamal, Pedri, Fabián Ruiz e Rodri.

Itália 2-1 Albânia. Depois do susto, a normalidade. Barella voltou a jogar como sempre, certinho, com pedalada e a um nível assombroso. O médio do Inter fez o segundo golo da tarde e antes viu Bastoni, um companheiro de equipa, empatar o marcador. Bajrami fez o golo dos albaneses.

👾 Toooooooooor

A jogada de Fabián Ruiz foi claramente o golo do dia, no sábado. Sim, Bajrami marcou o segundo golo da história da Albânia na segunda presença neste torneio (e o de Barella, tecnicamente, é um tratado), mas o espanhol teve um momento superior. Ruiz joga no PSG, mas esteve quatro temporadas em Nápoles. Se calhar aqueles bons pés tiveram alguma inspiração divina…

🎙️ Cantilenas

“É um sonho jogar com 16 anos”, confessou Yamine Lamal, o menino do Barcelona e da seleção espanhola.

💾 As nossas histórias

🔦 Uma sugestão

Na ressaca do show dos centrocampistas espanhóis, recomendamos “O olhar do médio-centro espanhol, por Martín Zubimendi” da “Tribuna Expresso”.

🎲 O que vem aí no domingo

Países Baixos-Polónia às 14h00, em Hamburgo
Eslovénia-Dinamarca às 17h00, em Estugarda
Sérvia-Inglaterra às 20h00, em Gelsenkirchen

Acompanhe os noticiários Bola Branca, as histórias e os relatos dos jogos de Portugal na Renascença. Saiba tudo sobre o Euro2024, resultados e atualizações diárias, em rr.pt.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+