Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Tudo como dantes

30 jun, 2022 • Opinião de Ribeiro Cristovão


O futebol português tem muito mais com que se preocupar, sendo por isso recomendável que as atenções se virem noutros sentidos.

Correu ontem o pano sobre a questão dos títulos do futebol nacional, após uma assembleia geral da Federação Portuguesa de Futebol que não havia gerado grande expectativa e ainda menos entusiasmo.

Estava em causa a possibilidade de o quadro de vencedores das diversas competições nacionais poder vir a ser alterado, em face das propostas apresentadas, depois de alguns estudos elaborados por especialistas terem sugerido que esta matéria fosse objeto de estudo e de votação pela entidade que representa globalmente o futebol português.

Eram quatro as propostas de alteração apresentadas, a última das quais pelo Sporting que foi, aliás, o primeiro e o mais insistente parceiro a trabalhar o assunto, e que tem considerado faltarem quatro títulos no seu palmarés.

As votações registadas na Assembleia federativa não suscitam quaisquer dúvidas, tendo a maioria dos votos incidido na proposta que apontava para tudo ficasse como está.

Portanto, “tudo como dantes, quartel-general em Abrantes”. O Sporting mantém 19 títulos de campeão, o Futebol Clube do Porto continua com 30, liderando o Benfica a tabela com 37 conquistas.

Perante o silêncio dos portistas, do lado encarnado veio o regozijo pela decisão final tomada, enquanto os leões prometem continuar a luta, debruçando-se sobre os mecanismos que julgam ter à sua disposição.

Como se trata de um decisão soberana, tomada na presença de 63 delegados federativos, 33 dos quais votaram na proposta ganhadora, o assunto deverá ter morrido ontem à tarde, sendo muito provável que a discussão tenha terminado por aqui.

O futebol português tem muito mais com que se preocupar, sendo por isso recomendável que as atenções se virem noutros sentidos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.