Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​CR7 abre mais buracos no queijo suíço

06 jun, 2022 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Traduziu-se numa pequena maravilha a exibição da seleção portuguesa de futebol no seu segundo jogo da fase de grupos da Liga das Nações.

O resultado final é a expressão maior dessa verdade a que Cristiano Ronaldo ajudou a dar corpo, numa noite em que voltou a repetir aos seus detratores que só irá arrumar as chuteiras quando entender que é esse o melhor caminho.

Mas, atenção, não foi apenas o goleador madeirense a brilhar a grande altura no confronto que teve Alvalade por cenário. Globalmente, a equipa escolhida pelo selecionador Fernando Santos não só cumpriu como protagonizou um desempenho que abre boas perspetivas no torneio internacional em que há ainda um longo caminho a percorrer.

Não tendo começado bem o jogo frente aos suíços, a seleção portuguesa adregou um jogo de muita qualidade a partir dos primeiros vinte minutos. E, a partir daí, jamais foi consentido aos helvéticos qualquer assomo para voltar ao jogo, tendo os golos lusos surgido com toda a naturalidade.

Cristiano Ronaldo obteve dois golos e poderia ter ido muito além dessa marca.

Foi também secundado pelos seus parceiros de jornada, e com alguns a irem além da média. As exibições de Cancelo, William de Carvalho, Bruno Fernandes, Otávio, entre outros deixaram garantias de que temos equipa para repetir o sucesso alcançado na primeira edição da Liga das Nações.

Quinta-feira, o adversário virá da República Checa que por esta altura iguala Portugal na pontuação do Grupo, sendo necessária outra vitória para ajudará a consolidar a posição portuguesa.

Em torneios como este, importante e necessário é ganhar aos mais fortes e não perder com os mais fracos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.