Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Com ou sem festa, vamos ter clássico

06 mai, 2022 • Opinião de Ribeiro Cristovão


O que se espera e deseja é que a jornada da Luz concorra para o prestígio do futebol, tantas vezes mal tratado por esses estádios fora.

Para as equipas maiores, o campeonato pode acabar amanhã bastando, para isso, que os portistas arranquem no estádio da Luz pelo menos um ponto frente ao seu grande rival Benfica, para o qual o resultado é indiferente, dado que a sua posição é imutável em qualquer circunstância.

Convenhamos, no entanto, que um clássico tem sempre uma força transcendente, mesmo que o seu desfecho não tenha implicações de nenhuma espécie.

É o que acontece no Benfica-Porto de amanhã: aos dragões basta um ponto para concretizarem a grande ambição da temporada, enquanto do lado dos lisboetas está sobretudo em causa o prestígio e a honra, marcas que perseguem sempre como um grande objetivo.

Ainda que possa sair do estádio da Luz derrotado, a equipa orientada por Sérgio Conceição continua com larga margem para não deixar fugir o título, uma vez que apenas fechará o ciclo na jornada final no Dragão, onde terá como adversário o Estoril Praia, este já em situação tranquila na tabela.

Se vai ou não haver festa neste sábado, é outra questão que se coloca, também porque terá lugar outro jogo, com o Sporting em Portimão, e de cujo resultado final se poderão extrair igualmente consequências.

O que se espera e deseja é que a jornada da Luz concorra para o prestígio do futebol, tantas vezes mal tratado por esses estádios fora, mesmo sabendo-se que a relação entre águias e dragões nem sempre tem sido a mais saudável.

E, não esquecendo, com uma arbitragem que contribua igualmente para que todos regressem calma e tranquilamente a casa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.