Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

"​Arriba España"

07 out, 2021 • Opinião de Ribeiro Cristovão


No estádio Giuseppe Meazza assistiu-se à queda da seleção italiana, interrompendo assim a invencibilidade que mantivera em 37 jogos a fio e, também muito importante, à ressurreição do conjunto de Luiz Henrique.

Foi com uma exibição monumental e uma vitória indiscutível que a seleção de Espanha garantiu ontem à noite a sua presença na final na Liga das Nações, ficando à espera do adversário que sairá do jogo de logo à noite entre o campeão do mundo, a França, e o atual líder do ranking da FIFA, a formação da Bélgica.

No estádio Giuseppe Meazza assistiu-se ontem à queda da seleção italiana, interrompendo assim a invencibilidade que mantivera em 37 jogos a fio e, também muito importante, à ressurreição do conjunto de Luis Enrique, sobre quem havia sido despejada nos últimos tempos a mais incrível desconfiança.

Assobiar o hino de Espanha no preâmbulo do desafio não foi uma boa ideia dos adeptos, os "tiffosi". Os costumeiros campeões da ignorância existem, afinal, em todas as latitudes. É que, a partir daí, a jovem guarda lançou em campo todos os seus atributos e só permitiu que durante cerca de 15 minutos os atuais campeões da Europa respirassem. Depois foi o assalto à baliza de Donnarumma, com a expulsão de Bonucci a dar um sério contributo para a derrocada final.

A Espanha glorifica agora a sua seleção, e alguns até reconhecem, resignados, que ali não há lugar nem sequer para jogadores do Real Madrid.

Isco, Nacho, Asensio, por exemplo, habituais clientes de La Roja, nem pelo pensamento do selecionador passaram. E, como estes, outros não voltarão a ser chamados, tal é a qualidade daqueles que ontem vimos em jogo-espetáculo no estádio mais bonito de Milão.

Sarabia, jogador do Sporting e em campo durante 75 minutos, foi um dos melhores executantes de uma orquestra bem afinada.

Hoje, como se disse antes, teremos a outra meia-final. Espera-se e deseja-se que França e Bélgica sejam capazes de repetir os momentos de ontem à noite.

Depois, no domingo, teremos a final para aí se encontrar o sucessor de Portugal da Liga das Nações, a segunda edição desta jovem descoberta da UEFA.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.