Tempo
|
João Duque n´As Três da Manhã
Segundas e sextas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
A bondade da escola cria-se com o ambiente de trabalho dos professores
A bondade da escola cria-se com o ambiente de trabalho dos professores

João Duque

Falta de professores? "É preciso tornar a profissão mais atrativa"

21 jan, 2022 • Olímpia Mairos


Comentador aborda um tema que não tem estado muito presente na campanha eleitoral: a educação.

O comentador d’As Três da Manhã considera que, face ao agravamento da falta de professores no ensino secundário, é preciso tornar a profissão mais atrativa.

“Há muitas ferramentas” para “estimular as pessoas e para as agarrar à profissão e ao local de trabalho”, diz João Duque.

O comentador aponta a formação dos professores nas várias componentes, o acesso a conteúdos e a compensação do ponto de vista da remuneração.

“Para além disso, é importante dar bastante autonomia às escolas, em termos de gestão, para poderem, de uma forma mais próxima dos docentes, criar condições para que eles possam agarrar-se à profissão, ao local de trabalho, para criarem bom ambiente.”

João Duque entende que “uma boa escola é fundamental”, detalhando que “a bondade da escola cria-se com o ambiente de trabalho dos professores”.

A presidente do CNE defendeu, esta sexta-feira, na Renascença a criação de bolsas orientadas para as escolas Superiores de Educação do interior. João Duque concorda com “o sistema de bolsas em geral” e dá até o seu exemplo de bolseiro.

Quanto às escolas de educação, e particularmente as do interior, serem pouco atrativas para os jovens, o comentador considera que tal facto pode justificar-se, porque “não têm tido os apoios necessários e têm dificuldade em singrar”.

Já quanto ao problema da empregabilidade para quem conclui o ensino superior, e que leva muitos jovens a emigrar, João Duque sublinha que as boas empresas “são as empresas maiores que crescem, são dinâmicas”, enquanto as pequenas empresas não conseguem ter “capacidade para reter ou para qualificar ou para pagar boas remunerações a quadros muito qualificados”.

O comentador deixa, no entanto, um alerta: “quem mais qualificação tem no mercado de trabalho, mais progride e mais ganha”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ex-professor
    27 jan, 2022 5 de out 15:07
    Não há professores, porque a profissão não é atrativa nem compensadora em termos financeiros. Respeito ZERO, reconhecimento Social ZERO, reconhecimento profissional ao sabor dos amigos do diretor, avaliações opacas crivadas de fatores de desconfiança, ambiente péssimo com prepotências e abusos dos Diretores, alguns mais Comissários Políticos que diretores, e já falei em 20 anos longe da família sempre com a casa às costas e por um salário miserável que nos professores deslocados muitas vezes significa pagar para trabalhar?