Tempo
|
João Duque n´As Três da Manhã
Segundas e sextas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Taxa única de IRS? Seria “aparentemente interessante”, mas é “muito complicado”
Taxa única de IRS? Seria “aparentemente interessante”, mas é “muito complicado”

João Duque

Taxa única de IRS? Seria “aparentemente interessante”, mas é “muito complicado”

10 jan, 2022 • Miguel Coelho , Cristina Nascimento


Comentador da Renascença analisa as propostas dos partidos na corrida eleitoral em matéria de política fiscal.

O comentador da Renascença João Duque considera que uma taxa única de IRS como é de alguma forma proposta por alguns partidos, nomeadamete Iniciativa Liberal e Chega, seria "aparentemente interessante", embora reconheça que é "muito complicado" de implementar.

O economista diz que a modalidade de taxa única "promoveria muito provavelmente um aumento da poupança, que é bem necessário em Portugal", mas reconhece que a "passagem de um modelo como temos agora para esse modelo é que é muito complicado, feito de uma forma muito rápida".

Numa apreciação geral sobre as propostas dos vários partidos, João Duque refere que, no essencial, o PS propõe o que ficou em suspenso com o chumbo do OE 2022, por exemplo o desdobramento dos escalões do IRS e a continuidade da aposta no IRS Jovem.

Quanto ao Bloco de Esquerda faz, na prática, "uma proposta de agravamento de impostos para os níveis superiores".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    11 jan, 2022 ILHAVO 09:28
    É no que dá quando os "neurónios piscam só para um lado". A quem é que tal "idiotice arquiliberal" pode interessar? Apenas a quem não quer pagar os impostos que pode e deve pagar, por pensar que o objectivo da vida em sociedade é, exclusivamente, safisfazer os SEUS caprichos e as SUAS necessidades - o resto que se dane! Estimular as poupanças (e apenas como possível hipótese académica, ao que parece)? Só se forem as SUAS (deles, claro), que a todos os outros competiria pagar-lhes a SUA felicidade com as suas próprias poupanças (neste caso, as dos outros, claro) . [Se é para isso que agora servem a "Ciência" (?) Económica e as Escolas de Economia, será melhor encontrar-lhes melhor serventia.]
  • Joaquim Correto
    10 jan, 2022 Paços 10:53
    Tirar ao pobres para dar aos ricos!