Tempo
|
Henrique Monteiro n´As Três da Manhã
Terças e quintas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Costa vai fazer navegação à vista, mas atenção ao exemplo do Titanic
Costa vai fazer navegação à vista, mas atenção ao exemplo do Titanic

Henrique Monteiro

Costa vai fazer navegação à vista, mas atenção ao exemplo do Titanic

18 jan, 2022 • Olímpia Mairos


Comentador analisa o debate na RTP que juntou os líderes de todos os partidos com assento parlamentar.

O comentador d’As Três da Manhã considera que o último debate entre todos os líderes dos partidos com assento parlamentar foi pouco esclarecedor.

Segundo Henrique Monteiro, António Costa é aquele que explica pior ou não explica mesmo o que é que vai fazer, no caso de não alcançar a desejada maioria absoluta.

“Vai fazer uma navegação à vista”, diz, considerando “muito estranho” Costa falar “em manter o rumo, manter a estabilidade”.

“Aí o Cotrim disse-lhe que o comandante do Titanic deve-se ter arrependido bastante de manter o rumo”, lembra o comentador, explicando que “manter o rumo ou manter a estabilidade em si, não é nada”.

Já Rui Tavares e Cotrim são os únicos que trazem propostas novas.

“João Oliveira esteve melhor que Catarina, o PAN - Inês Sousa Real – diz sempre mais ou menos o mesmo, Rui Tavares e Cotrim são pessoas interessantes, com propostas novas, Costa tem esta dificuldade e Rio tem aquele ar ‘blazé’ em que está sempre meio com sorriso que a gente não sabe se ele está a escarnecer dos outros ou a ser simpático”, analisa.

Para o debate das rádios, marcado para quinta-feira, Henrique Monteiro espera ouvir Costa explicar como vai governar, no caso de vencer sem maioria absoluta. E espera também que Ventura e Rio expliquem o que é que fazem se o Chega alcançar os 7% e a direita tiver maioria.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.