Tempo
|
Francisco Sarsfield Cabral
Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

Putin avança no Médio Oriente

24 out, 2019 • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


O acordo entre Erdogan e Putin favorece o crescente papel da Rússia no Médio Oriente. Putin preenche um vazio deixado por Trump.

Em Sochi, uma cidade russa na margem do mar Negro, Putin conversou longamente com o presidente turco, Erdogan. Desse encontro saiu um acordo que limita a invasão turca do Norte da Síria e favorece o crescente papel da Rússia no Médio Oriente. Putin aproveita, naturalmente, o vazio deixado pela retirada dos militares americanos e de algum modo compensa o afastamento político (pelo menos temporário) do seu “amigo” israelita Netanyahu.

Putin tinha de conciliar o apoio de Moscovo ao ditador sírio, Bashar al Assad, bem como ao Irão (outro apoiante de Assad), com o “namoro” que tem feito à Turquia de Erdogan – e que já deu frutos, apesar de a Turquia ser um país membro da NATO (a Rússia vendeu aos turcos material de defesa anti-míssil).

Assim, o acordo de Sochi consagra a integridade do território sírio, mas admite uma faixa de 5 km. ao longo da fronteira síria com a Turquia onde os militares turcos mandarão temporariamente. Os militantes curdos, essenciais no combate ao “Estado Islâmico”, mas considerados terroristas por Erdogan, são expulsos de uma faixa de 32 km., o mesmo acontecendo, na prática, aos curdos civis que ali viviam. Segundo a ONU, perto de 180 mil pessoas, incluindo 80 mil crianças, já fugiram daquela faixa, cuja população predominantemente curda andava pelos 3 milhões.

Patrulhas militares mistas de russos e turcos vigiarão o Nordeste da Síria. É provável que Erdogan envie para essa zona mais de um milhão de refugiados sírios.

O ditador sírio Bashar al Assad chamou “ladrão” a Erdogan porque lhe entrou pelo país dentro, mas agradeceu a Putin o acordo de Sochi e a disponibilidade das forças russas para proteger a fronteira síria com a Turquia.

Em suma, como se previa, quem passou a ter forte influência no que se passa naquela região do Médio Oriente é Putin. Que certamente não irá ficar por aqui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.