Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Ouça o Explicador aqui.

Explicador Renascença

Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?

11 jul, 2024 • Sérgio Costa


Segundo um relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, houve menos 518 nascimentos em Portugal no primeiro semestre do ano.

Quais são os dados disponíveis?

Menos cerca 500 nascimentos nos primeiros seis meses do ano em comparação com igual período do ano passado.

Estes são dados relativos ao teste do pezinho e divulgados pelo Instituto Ricardo Jorge e que analisaram mais de 41.200 recém-nascidos. No ano passado, em igual período nasceram mais de 41.800.

Onde é que a redução de nascimentos tem mais impacto?

Não deverá surpreender a resposta: no interior. Bragança, Portalegre, Guarda, Beja e Vila Real foram os distritos com menor número de bebés rastreados, com valores mensais abaixo de uma centena.

Também não surpreende o facto de Lisboa, Porto, Setúbal e Braga serem os distritos com maior número de recém-nascidos testados.

Estes são dados que podem confirmar a tendência de desertificação do interior.

Esse número contraria a tendência do último ano. Há alguma explicação para esta quebra?

Os dados revelados não identificam causas, ainda assim esta quebra parece estar ainda longe de fazer recuar o número de nascimentos para os valores de 2021, ano que registou pouco mais 79.200 nascimentos. Em 2023 foram 85.700.

A imigração contribuiu para este valor mais elevado de nascimentos do ano passado. Esta quebra no primeiro semestre pode ser circunstancial

E os nascimentos sobem mais no público ou no privado?

Temos de recuperar os dados relativos a 2023. Os nascimentos aumentaram 2,3% no SNS, mas subiram mais no privado.

De recordar que 2023 foi um ano marcado por constrangimentos e encerramentos nas maternidades. Ainda assim, o número de nascimentos no SNS aumentou, e são maioritários, mas ao mesmo tempo fez aumentar o número de nascimentos no privado com um aumento de 5,4%.

Números que não impedem envelhecimento do país. Quais sãos os dados conhecidos?

Há quase dois idosos por cada jovem - Portugal, a par da Itália, é o país mais envelhecido da União Europeia.

Dados da PORDATA revelam que, no país, existem mais de dois milhões e meio de pessoas com 65 anos ou mais. Há mais de 3 mil pessoas com 100 anos.

Só dois municípios têm mais jovens dos que idosos: Lagoa e Ribeira Grande, nos Açores.

O número de pessoas que vivem sozinhas ascende a um milhão.

Por que é que os Jogos Olímpicos podem levar a mais casos de dengue na Europa?
Caso das vacinas pode ameaçar reeleição de Von der Leyen?
Há cada vez mais portugueses sem médico de família atribuído. O que dizem os dados?
Perdeu a carteira? Governo anuncia novos serviços digitais
Alunos sem professores é uma situação recorrente. Porquê?
Cartão social. O que é e que famílias vão ter direito a ele?
Ataque contra Donald Trump. Que influência pode ter na campanha?
Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.