Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ouça o Explicador Renascença

Explicador Renascença

Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?

08 jul, 2024 • Sérgio Costa


Um dos pontos centrais do programa da Nova Frente Popular é o aumento do salário mínimo para 1.600 euros líquidos por mês.

A política francesa apresentou, este domingo, uma reviravolta nas urnas que apanhou todas as sondagens e analistas de surpresa.

A Nova Frente Popular, da esquerda, venceu as eleições quando tudo apontava para uma vitória da extrema-direita.

O Explicador Renascença dá conta do que é esta força de esquerda.

O que é a Nova Frente Popular?

É uma coligação de vários partidos e movimentos da esquerda francesa incluindo o Partido Socialista, os Ecologistas, o Partido Comunista Francês, o Novo Partido Anticapitalista e a França Insubmissa que é o partido que terá, nesta coligação, mais assentos na Assembleia Nacional

Quais são as principias linhas políticas?

O Estado no centro.

Um dos pontos centrais do programa da Nova Frente Popular, e um dos mais criticados, é o aumento do salário mínimo para 1.600 euros líquidos por mês (atualmente é de quase 1.400 euros) e a indexação dos salários à inflação.

A coligação garante que vai compensar os custos adicionais que esta medida terá para as Pequenas e Médias Empresas (PME) com ajudas públicas, propondo também um “protecionismo social e ambiental nas fronteiras da Europa” para proteger a produção das importações.

É uma espécie de geringonça francesa?

Não necessariamente. É diferente, porque em Portugal a chamada geringonça foi estabelecida após as eleições e não antes, não era uma coligação, apenas um acordo para garantir uma maioria parlamentar por forma impedir a governação do centro-direita.

Por outro lado, há uma diferença substancial: na geringonça, em Portugal, o partido maioritário era o PS, de centro-esquerda, pró-NATO e europeísta.

Em França, o partido maioritário na Nova Frente Popular é o França Insubmissa que é um partido anti-NATO, e em muitos pontos eurocético. Para além de tudo isto, a Frente Popular não tem maioria parlamentar.

Como é que pode governar?

Essa é a grande incógnita. O líder do França Insubmissa já veio exigir a nomeação de um primeiro-ministro da Frente Popular, mas não terá maioria, porque os liberais do Ensemble não deverão aceitar uma solução com Mélenchoncomo primeiro-ministro.

Na verdade, nada obriga o Presidente Macron a fazer isso. O chefe de Estado francês pode não nomear um chefe de Governo da esquerda.

O que pode fazer o Presidente?

Poderia nomear um primeiro-ministro de esquerda, correndo o risco de o ver enfrentar uma moção de censura que reuniria todos os blocos mais à direita para o derrubar.

Pode nomear um governo “técnico”, composto por especialistas, mas também corre o risco de ser chumbado.

Outro cenário possível: Emmanuel Macron poderá decidir manter Gabriel Attal no seu cargo e confiar-lhe a tarefa de formar uma coligação plural que se estendesse à sua esquerda, sem no entanto ter a certeza de obter uma maioria capaz de sobreviver a uma moção de censura.

A saída pode estar na nomeação de um primeiro-ministro de esquerda sem ser da França Insubmissa. O nome mais falado tem sido o de Marine Tondelier, dos ecologistas, que pode merecer a aprovação dos liberais, ao contrário de Mélenchon.

Provas de aferição passam a Provas de Monitorização da Aprendizagem. O que muda?
Por que é que os Jogos Olímpicos podem levar a mais casos de dengue na Europa?
Caso das vacinas pode ameaçar reeleição de Von der Leyen?
Há cada vez mais portugueses sem médico de família atribuído. O que dizem os dados?
Perdeu a carteira? Governo anuncia novos serviços digitais
Alunos sem professores é uma situação recorrente. Porquê?
Cartão social. O que é e que famílias vão ter direito a ele?
Ataque contra Donald Trump. Que influência pode ter na campanha?
Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.