Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Ouça aqui o Explicador Renascença

Explicador Renascença

Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?

01 jul, 2024 • Fátima Casanova


O livro de reclamações eletrónico ficou online há sete anos. Entretanto, já passou a marca de mais de um milhão de queixas.

Os consumidores queixam-se de quê?

Há um setor de atividade que se destaca: as telecomunicações. Foi alvo de mais de 300 mil queixas.

Seguem-se os serviços postais, com mais de 150 mil reclamações, e depois, aparecem setores como: eletricidade, serviços financeiros, equipamentos elétricos e eletrónicos.

Quem faz o tratamento das reclamações?

As entidades reguladoras. Elas é que são responsáveis por dar seguimento às queixas.

No caso das telecomunicações e dos serviços postais, os dois sectores mais reclamados, cabe à ANACOM dar respostas.

No total, há 35 entidades que têm de acompanhar as reclamações que chegam.

No livro de reclamações eletrónico, os consumidores também podem submeter pedidos de informação às entidades reguladores, fazer sugestões ou até elogiar o operador económico. Nestes sete anos de atividade foram feitos cerca de 6.600 elogios.

O consumidor pode fazer queixa ou elogiar quem quiser?

Não pode elogiar quem quiser. Só os operadores que estiverem registados na plataforma, caso contrário resta ao cliente fazer a queixa no velhinho livro de reclamações de capa vermelha, onde é preciso preencher todos os campos em triplicado.

Quais os passos para apresentar queixa?

Basta entrar em livro reclamações.pt. Depois é preciso escolher a opção “fazer reclamação” e aparece um formulário, que o consumidor tem de preencher com os seus dados.

O livro eletrónico tem como grande vantagem, a do consumidor poder fazer a queixa já depois de ter deixado o estabelecimento comercial, Nem precisa de a fazer no próprio dia.

O vendedor tem um prazo de 15 dias para responder por e-mail à pessoa que reclamou, para além de se poder acompanhar todo o processo à distância.

Existe aplicação para telemóvel?

Sim. Basta procurar por “livro de reclamações” e instalar a aplicação.

As reclamações submetidas através da aplicação podem também ser consultadas e acompanhadas no site. Apesar de ser possível fazer todo o acompanhamento, qualquer resposta às queixas é enviada por e-mail.

Ataque contra Donald Trump. Que influência pode ter na campanha?
Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.