Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Trabalhadores e empresas que testaram semana de quatro dias querem manter o modelo
Ouça o Explicador Renascença

Explicador Renascença

Trabalhadores e empresas que testaram semana de quatro dias querem manter o modelo

24 jun, 2024 • André Rodrigues


Relatório aponta para redução do absentismo, a queda da exaustão e desgaste e o melhor equilíbrio entre trabalho, família e vida pessoal.

A maior parte das empresas e dos trabalhadores que testaram a semana de quatro dias querem manter o modelo.

Os dados são do relatório do Instituto de Emprego e Formação Profissional com a versão final do projeto piloto levado a cabo em 41 empresas durante seis meses.

Qual é o balanço desta experiência?

O balanço é globalmente positivo, pelo menos é o que indica o relatório final.

Esta espécie de inquérito de satisfação revela que, do lado dos trabalhadores, há melhorias significativas ao nível da saúde; conseguiu-se um melhor equilíbrio entre trabalho, família e vida pessoal. Em termos salariais, os trabalhadores com rendimentos mais baicos são os que mais valorizam esta redução dos tempos de trabalho.

Os níveis de exaustão pelo trabalho reduziram-se em 19%.

E a esmagadora maioria dos trabalhadores que participaram nesta projeto da semana dos quatro dias (93%) dizem que querem continuar com este regime de trabalho.

E do lado das empresas?

É um balanço também bastante positivo. 80% das empresas que aderiram ao projeto dos quatro dias dão nota positiva, porque adoção deste regime de trabalho foi financeiramente neutro.

Ou seja, não aumentou os custos com os trabalhadores e também não houve perdas de produtividade.

E em alguns casos, houve mesmo aumento de lucros. Isto apesar de o número de horas no local de trabalho ter reduzido: antes do projeto-piloto, os trabalhadores passavam em média quase 42 horas por semana no local de trabalho. Durante o projeto piloto trabalharam 36 horas.

Vamos mesmo ter a semana dos quatro dias?

Os coordenadores deste relatório do IEFP admitem que este projeto ainda que "é difícil de implementar" no imediato, porque é necessário mudar vários aspetos na organização das empresas.

Não é só começar o fim de semana à sexta-feira, nem se trata de trabalhar menos horas. Trata-se de trabalhar melhor. Mas os investigadores do IEFP dizem que os resultados são encorajadores.

Tão encorajadores que o relatório sugere a adoção de um plano a 10 anos para que a semana dos quatro dias passe a ser a regra.

Em todas as empresas?

Para já, a experiência do Governo excluiu as empresas de maior dimensão. O projeto só foi testado em alguns departamentos.

No caso das pequenas e médias empresas, os investigadores sugerem a adoção de incentivos fiscais para encorajar à adesão

Há boas experiências em países que já avançaram com esta experiência: Islândia, Japão ou Suécia. Mas, lá está, países com uma cultura de organização de trabalho diferente de Portugal.

Nós ainda temos algum caminho a fazer. Mas os testes são encorajadores e a semana dos quatro dias pode mesmo funcionar em vários setores.

Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.