Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
As pessoas queixam-se cada vez mais dos transportes públicos. Porquê?
Ouça o Explicador Renascença

As pessoas queixam-se cada vez mais dos transportes públicos. Porquê?

19 jun, 2024 • André Rodrigues


A CP foi que recebeu o maior número de queixas dos utentes no ano passado.

Estão a aumentar as queixas com os serviços de transportes de passageiros.

No ano passado foram quase 30 mil - um número recorde. São dados da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes.

O Explicador Renascença esclarece.

Quais são as principais reclamações?

Na esmagadora maioria dos casos, estão relacionadas com o transporte rodoviário e ferroviário de passageiros.

No total, foram 29.674 queixas registadas durante todo o ano passado, mais de 11.500 são de utentes dos transportes rodoviários; 6.200 são de utilizadores dos comboios.

Na comparação com 2022, foram mais sete mil reclamações.

Que tipo de queixas?

No caso dos transportes rodoviários, a principal queixa é o cancelamento de serviço. Seguem-se os incumprimentos dos horários, comportamento inadequado dos funcionários e problemas com os títulos de transporte.

Já no setor ferroviário, a principal queixa está relacionada com reembolsos por serviços não realizados.

E há um dado a reter: de todas as empresas do setor dos transportes, a CP foi que recebeu o maior número de queixas dos utentes no ano passado.

No setor rodoviário houve mais queixas?

Sim, porque o total de queixas no transporte rodoviário está disperso por várias empresas, ao passo que, no caso dos comboios, 95% das reclamações concentram-se na CP, que totaliza 5.885 participações dos utentes.

Já quanto aos autocarros, a maioria das queixas distribui-se - por esta ordem - entre Rede Nacional de Expressos, Carris e a Transportes Metropolitanos de Lisboa. Ou seja, menos reclamações por empresa, mas mais reclamações em termos globais no setor rodoviário.

Importa, contudo, referir que estes números relativos ao transporte rodoviário não incluem, por exemplo, as reclamações dos utentes da UNIR, a rede de autocarros do Grande Porto que arrancou em finais do ano passado, com supressão de várias linhas e falta de informação aos utilizadores.

O que é que explica este aumento?

Pode não corresponder exatamente a uma degradação do serviço.

Há um dado que pode ajudar a explicar esta subida: o número de queixas apresentadas por via eletrónica, através do portal da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, já ultrapassa as reclamações apresentadas no livro de reclamações físico. E já tinha sido assim em 2022.

Portanto, há um acesso mais facilitado à queixa, o que também ajuda a explicar este maior descontentamento dos utentes com os serviços de transportes.

Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.