Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Os agricultores do Algarve estão preocupados com a seca na região. O que se passa?

Explicador Renascença

Os agricultores do Algarve estão preocupados com a seca na região. O que se passa?

17 jan, 2024 • André Rodrigues


É a maior seca que há registo. A Agência Portuguesa do Ambiente criou um plano que prevê um corte de 70% no consumo de água para a atividade agrícola e de 15% para o consumo urbano, que inclui o setor do turismo.

Os agricultores do Algarve estão preocupados com a seca na região e alertam para quebras muito significativas, sobretudo na produção de citrinos, caso se confirmem as restrições ao consumo de água para a agricultura. Esta quarta-feira haverá decisões sobre este tema.

Afinal, o que se passa?

A situação de seca que atinge o Algarve está atingir proporções graves. É a maior seca de que há registo. As reservas das albufeiras estão no nível mais baixo de sempre e o mesmo acontece com as águas subterrâneas.

Neste cenário, a previsão aponta para uma disponibilidade de água para apenas oito meses.

Para que se tenha uma ideia, as seis albufeiras no Algarve estão, nesta altura, a um quarto da sua capacidade, ainda menos do que em igual período de 2023, que já foi um ano difícil em matéria de seca.

Por isso, torna-se urgente tomar medidas perante uma situação que é bastante complexa e que não se sabe quanto mais tempo poderá durar.

Esta quarta-feira haverá uma decisão sobre as medidas a tomar. O quê que pode acontecer?

Será preciso aguardar pelas conclusões da comissão que acompanha os efeitos da seca. O encontro desta tarde, em Faro, conta com a presença dos ministros do Ambiente e da Agricultura.

Seja como for, para mitigar os efeitos a seca, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) criou um plano que prevê um corte de 70% no consumo de água para a atividade agrícola e de 15% para o consumo urbano, que inclui o setor do turismo.

Que impactos é que isto pode ter?

Desde logo, os impactos mais significativos serão na agricultura. Os produtores de laranja do Algarve antecipam uma campanha desastrosa, com perdas tanto na quantidade como na qualidade.

E que consequências para os consumidores?

Aí responde a lei da oferta e da procura. A campanha de citrinos do ano passado teve um corte de 50% na produção, o que levou a ruturas de "stock" de laranjas nos supermercados durante o verão e o preço acabou por disparar.

Se este ano, a situação é ainda mais complicada, o cenário pode agravar-se.

Por isso, nesta altura, a prioridade é encontrar soluções imediatas para aumentar a água disponível.

Mas como é possível, se não há água suficiente?

A solução poderá passar pela a reativação de furos municipais, para alimentar as redes de distribuição, o que pode dar alguma folga às necessidades de rega das árvores de fruto.

Outra das possibilidades é o recurso a unidades de dessalinização de água.

A primeira grande central de dessalinização vai ser construída na zona de Albufeira e vai ter uma capacidade de 16 milhões de metros cúbicos de água.

Outra das soluções será o tratamento e reutilização de águas residuais para a rega de relvados e para os campos de golfe.

O golfe que é uma das principais atrações dos hotéis do Algarve. O problema é o grande consumo de água. Como é que os agricultores olham para isto?

Pedem sensatez na adoção de medidas, por considerarem que a estratégia da Agência Portuguesa do Ambiente para restringir o consumo de água não é equitativo. Em causa está a diferença nos cortes de consumo de água previstos para os outros setores.

De resto, o presidente da maior associação de produtores de citrinos do Algarve considera insultuoso que, num quadro de emergência como o que a região enfrenta, haja zonas em que seja permitido o consumo de 1.000 litros de água per capita, por dia.

Quase 100 mil eleitores já se inscreveram para o voto antecipado. Como funciona?
​O que sabemos da visita de Zelensky a Portugal?
JPP é a surpresa das eleições na Madeira. Afinal, que partido é este?
Imprimir o bilhete? Ir a pé ou de carro? O que precisa de saber para o concerto de Taylor Swift
O que prevê o pacote do Governo de apoio aos jovens?
Governo alivia restrições ao consumo de água. A seca desagravou?
Portugal vai reconhecer a Palestina?
Professores. Por que é que há sindicatos que não aceitaram o acordo do Governo?
O que diz o acordo entre professores e o Governo?
Por que é que o Tribunal Penal Internacional pede mandado de captura a Netanyahu?
Quais são as novas regras das transferências bancárias?
Visita "Ad Limina": o que é e em que consiste?
Devia Aguiar-Branco ter reprimido Ventura no Parlamento?
Cristo Rei faz 65 anos. O que sabemos sobre este monumento?
O que esperar do acordo para reduzir o valor do IRS?
Afinal, o Papa vai ou não a Niceia?
O que motivou o ataque ao primeiro-ministro da Eslováquia?
Risco de pobreza aumentou em 2023. Quem são as famílias em maior risco?
Aeroporto Luís de Camões. É desta que a obra é feita?
Porque vai a eletricidade ficar mais cara em junho?
Os Super Dragões terão ficado com bilhetes para benefício próprio?
Hospitais com falhas em medicamento usado para tratar cancro. O que está a ser feito?
Como aceder ao complemento solidário para idosos?
Subida de 50 euros no CSI. Quando é que idosos começam a receber os aumentos?
Por que é que estão a aumentar os casos de tosse convulsa?
Jovens com direito à devolução de propinas devem fazer IRS?
Afinal o acordo de rendimentos do anterior Governo é mesmo para cumprir. O que significa?
José Castelo Branco detido pela GNR. O que se sabe até agora?
Afinal, o Sporting tem 20 ou 24 campeonatos?
Quanto recebem os eurodeputados fora do Parlamento Europeu?
O que é o crime de "traição à pátria" de que Marcelo pode ser acusado pelo Chega?
Quem é o jovem português que incentivava e coordenava massacres online?
Fim do pagamento das ex-SCUT vai avançar? Ou Governo avança com lei travão?
Portagens vão ser eliminadas nas ex-Scut?
Excedente em janeiro passou a défice em março. O que aconteceu?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • JM
    17 jan, 2024 Seixal 13:09
    A cultura do abacateiro: “Em 2019, a região algarvia estava a ser assolada pela seca e a plantação deste fruto tropical triplicou.” Estamos em 2024 e apenas falam da cultura dos citrinos e dos campos de golfe, sobre a cultura do abacate ainda não ouvi ninguém manifestar a sua opinião.
  • Edmundo António Rica
    17 jan, 2024 Camarate 11:32
    "É assim que os políticos acordam de um sono profundo!"