Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
O que se passa com os helicópteros Kamov oferecidos à Ucrânia?

O que se passa com os helicópteros Kamov oferecidos à Ucrânia?

21 nov, 2023


Já passou mais de um ano e os aparelhos continuam parados no aeródromo de Ponte de Sor, Portalegre. Saiba porquê.

No explicador desta terça-feira à tarde falamos sobre os helicópteros que Portugal ofereceu à Ucrânia.

Já passou mais de um ano e os aparelhos continuam parados no aeródromo de Ponte de Sor, no distrito de Portalegre.

Que helicópteros são estes?

São seis helicópteros pesados, Kamov, de combate a incêndios, que não têm licença para operar em Portugal porque são russos. Os aparelhos estão inoperacionais há vários anos à espera de reparação, o que se tornou impraticável, na sequência da guerra e das sanções impostas à Rússia, porque boa parte das peças vem de lá.

E, por isso, quando Kiev pediu ajuda ao nosso país, o Governo decidiu dispensá-los à Ucrânia, que tem a sua própria cadeia de fornecimento e, portanto, conseguiria recuperar os Kamov. Mas não foi isso que aconteceu... Não foi, de facto... Segundo explicou hoje o Ministério da Defesa, as autoridades portuguesas ainda aguardam por indicações da Ucrânia sobre os próximos passos a dar.

O gabinete da ministra Helena Carreiras diz que tem havido contactos regulares com os interlocutores ucranianos. No trimestre passado, houve uma visita técnica do braço logístico do grupo de doadores a Ponte de Sor, onde os helicópteros estão estacionados. Em junho, a ministra disse que o envio dos Kamov estava a ser preparado, mas até agora nada aconteceu.

E Moscovo não protestou?

Protestou, claro. A decisão foi criticada por Moscovo que considerou que Portugal estava a violar as suas obrigações contratuais, mas o Governo - pela voz do ministro dos negócios estrangeiros, José Luís Carneiro - considerou que não havia qualquer razão para não fornecermos este apoio à Ucrânia.

João Gomes Cravinho até disse que Portugal não está preocupado em satisfazer a Rússia, mas sim em criar condições para que a Rússia saia dos territórios da Ucrânia.

Os helicópteros estavam inoperacionais desde quando?

Desde há muito... Só para terem uma ideia, os Kamov foram comprados em 2006, para termos uma frota própria de aparelhos de combate a incêndios. O contrato foi assinado por António Costa, na altura ministro da administração interna, por 348 milhões de euros mas, entretanto, já custaram muitos mais milhões com os problemas de manutenção e contratos com os privados que os operavam.

Um está acidentado desde 2012, outros dois estão para reparação desde 2015 e os restantes três estão inoperacionais desde o início de 2018 por falta de manutenção e respetiva certificação pela Autoridade Nacional de Aviação Civil.

Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.