Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Há utentes que estão a recorrer a hospitais fora da área de residência. Porquê?

Explicador Renascença

Há utentes que estão a recorrer a hospitais fora da área de residência. Porquê?

20 nov, 2023 • Hugo Monteiro


Dezenas de hospitais continuam a enfrentar constrangimentos e encerramentos temporários de serviços. Em causa, está a dificuldade em completar as escalas, depois de muitos médicos recusarem fazer mais horas extraordinárias para além das legais.

Há utentes que estão a recorrer a hospitais fora da área de residência. Porquê?

Ora, por engano, ora por receio. Isto porque a reorganização das urgências tem criado confusão entre os utentes que optam por dirigir-se aos hospitais centrais, porque receiam que as urgências da sua área de residência estejam fechadas.

Mas este é um problema que afeta também quem opera as ambulâncias, que, muitas vezes, não sabem para onde se dirigir e, por engano, acabam por transportar os doentes para os maiores hospitais.

E onde é que são sentidos os maiores constrangimentos?

Há vários problemas, por exemplo, a norte. No Porto e em Gaia, os principais referem à agência Lusa que têm recebido utentes de outras unidades da região, quando, na verdade, o mapa das urgências da Direção Executiva do SNS garantia estarem, naquela altura, a funcionar.

Então, isso significa que as pessoas estão mal informadas sobre os serviços que estão, efetivamente, a funcionar?

Aparentemente, sim. E essa é, de resto, uma denúncia feita pelo Bastonário da Ordem dos Médicos. Carlos Cortes diz que há vários hospitais que não estão a dar informação correta às populações sobre constrangimentos dos diversos serviços. Assim como dos picos de afluência. E por isso o bastonário pede transparência ao Governo e às administrações hospitalares - que acusa de não estarem a ter uma atitude responsável.

E tudo isto num quadro em que se mantêm os constrangimentos em muitos hospitais...

Sim, são 37 as unidades de saúde em todo o país, com urgências de várias especialidades a funcionar, esta semana, com limitações. Por exemplo, em Évora, até ao meio dia há constrangimentos em Cirurgia Geral e Medicina, que está a receber apenas os doentes que forem encaminhados pelo INEM. Tudo isto está a provocar picos de procura em diversas unidades. Só na sexta-feira, mais de 470 casos foram registados na Urgência Central do Hospital de Santa Maria em Lisboa - o número mais elevado desde o início de outubro.

Mas quando é que tudo vai voltar ao normal?

Aparentemente quando médicos e governo chegarem a acordo. E, esta semana, na quinta-feira, há nova ronda de negociações do ministro Manuel Pizarro com os sindicatos. Amanhã, é a vez do secretário de Estado da Saúde receber os representantes dos médicos, para uma reunião técnica. Falta saber se haverá esse acordo que terminará com o protesto dos clínicos, que se recusam a fazer mais horas extraordinárias, além das previstas por lei.

Reciclar e ganhar. Quanto pode valer a sua garrafa?
EUA. Joe Biden desistir das Presidenciais está a tornar-se um cenário provável?
Provas de aferição passam a Provas de Monitorização da Aprendizagem. O que muda?
Por que é que os Jogos Olímpicos podem levar a mais casos de dengue na Europa?
Caso das vacinas pode ameaçar reeleição de Von der Leyen?
Há cada vez mais portugueses sem médico de família atribuído. O que dizem os dados?
Perdeu a carteira? Governo anuncia novos serviços digitais
Alunos sem professores é uma situação recorrente. Porquê?
Cartão social. O que é e que famílias vão ter direito a ele?
Ataque contra Donald Trump. Que influência pode ter na campanha?
Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    20 nov, 2023 PORTUGAL 10:36
    Os Utentes de Vila Nova de Gaia resolvem bem essa situação, RECORRAM à Câmara Municipal, pois o Presidente RESOLVE.