Tempo
|
Euranet
Euranet
“Compromisso Verde” é um podcast quinzenal sobre crescimento sustentável e transição energética. Da pandemia dos plásticos aos pecados da chamada moda rápida, cada episódio um tema. Uma nova edição disponível às quartas-feiras às 18h00. Esta é uma parceria Renascença Euranet Plus.
A+ / A-
Arquivo

Euranet

7,2 milhões de pessoas saíram da Ucrânia, maioria para países da UE

09 jun, 2022 • Vasco Gandra, correspondente em Bruxelas


ONU elogia os países que estão a receber refugiados, em particular os Estados-membros da UE que tomaram "medidas sem precedentes".

Desde o início da guerra na Ucrânia, saíram do país 7,2 milhões de pessoas. A invasão russa e a guerra causaram uma das maiores crises de refugiados e de deslocados internos no mundo de hoje.

Os Estados-membros da União Europeia (UE) têm recebido a maior parte destas pessoas.

Milhões de refugiados atravessaram a fronteira para países vizinhos e muitos outros estão deslocados dentro do país.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) atualizou, esta quinta-feira, os dados sobre os refugiados ucranianos. Desde o início da guerra, a 24 de fevereiro. cerca de 7,2 milhões de pessoas saíram da Ucrânia, sendo que 2,3 milhões de pessoas regressaram entretanto ao país.

Em comunicado de imprensa, a agência da ONU elogia os países que estão a receber refugiados, em particular os Estados-membros da UE que tomaram "medidas sem precedentes".

Os 27 desencadearam rapidamente e pela primeira vez o mecanismo que faculta proteção temporária aos ucranianos garantindo-lhes acesso a serviços, habitação e trabalho no bloco comunitário.

Segundo os dados do ACNUR, cerca de 4,8 milhões de pessoas registaram-se como refugiados na Europa. 3,2 milhões solicitaram a proteção temporária da UE ou esquemas nacionais de proteção idênticos.

"Embora a situação de segurança na Ucrânia permaneça frágil, foram registadas travessias [da fronteira] de ida e volta.

Alguns atravessam para a Ucrânia para avaliar a situação, verificar os seus bens, visitar familiares ou ajudá-los a partir", diz o ACNUR. Muitos dos que regressaram encontraram as suas casas danificadas e tentaram encontrar emprego mas não tiveram que voltar a sair do país, explica a agência da ONU.

A Polónia é o país que mais refugiados da Ucrânia recebeu, com mais de 1,1 milhões de pessoas registadas.

Seguem-se a Rússia (1,1 milhões), a Alemanha (780 mil), a República Checa (366 mil), Itália (125 mil) e Espanha (118 mil). Portugal registou 41,546 pessoas que fugiram da Ucrânia.

Muitos países que não pertencem à UE também estão igualmente a receber refugiados ucranianos, como a Moldávia, Turquia, Suíça, Reino Unido, Noruega ou Sérvia.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.