Tempo
|
Euranet
Euranet
“Compromisso Verde” é um podcast quinzenal sobre crescimento sustentável e transição energética. Da pandemia dos plásticos aos pecados da chamada moda rápida, cada episódio um tema. Uma nova edição disponível às quartas-feiras às 18h00. Esta é uma parceria Renascença Euranet Plus.
A+ / A-
Arquivo

Euranet

60 anos de PAC. Para que serve e como funciona?

06 jun, 2022 • Vasco Gandra, correspondente em Bruxelas


A PAC é uma das políticas que mais recebe do orçamento comunitário - representa atualmente 31% e custa cerca de 30 cêntimos por dia a cada cidadão.

O Parlamento Europeu celebrou esta segunda-feira, com uma cerimónia durante a sessão plenária, os 60 anos da Política Agrícola Comum (PAC). Mas afinal o que tem feito a PAC pelos europeus?

Trata-se de uma das principais e mais emblemáticas e duradouras políticas da UE. Quando foi lançada, em 1962, pretendia estimular a produção agrícola de uma Europa ainda a recuperar da guerra, garantir rendimentos dignos aos agricultores europeus, fornecer alimentos a preços acessíveis aos consumidores, e preservar os recursos naturais e o ambiente.

Devido à habitual incerteza económica que paira sobre o setor agrícola, muito dependente de fatores meteorológicos e climáticos, das colheitas, etc... e à necessidade de os agricultores terem que trabalhar de forma sustentável e respeitadora do ambiente, a PAC fornece importantes medidas e apoios à atividade.

A política comum para o setor agrícola assenta em dois pilares.

O primeiro inclui os pagamentos diretos que garantem a estabilidade dos rendimentos dos agricultores e medidas de mercado que permitem fazer face, por exemplo, a uma quebra súbita da procura devido a uma emergência sanitária.

O segundo pilar - do desenvolvimento rural - complementa o primeiro através do reforço da sustentabilidade social, ambiental e económica das áreas rurais.

A importância da PAC

A PAC é uma das políticas que mais recebe do orçamento comunitário - representa atualmente 31% e custa cerca de 30 cêntimos por dia a cada cidadão.

A política agrícola tem várias vantagens. Permite a produção de uma enorme variedade de produtos seguros, de qualidade e a preços acessíveis. Muitos produtos alimentares e gastronómicos são conhecidos e apreciados não só na Europa mas a nível global. As denominações de origem e as indicações geográficas desempenham um papel importante na proteção desses produtos.

A PAC é também fundamental para o desenvolvimento das comunidades rurais. Os números confirmam essa importância.

A UE tem cerca de 10 milhões de agricultores, responsáveis por 39% dos terrenos no conjunto dos 27 Estados-membros. Dos cerca de 450 milhões de pessoas que vivem no bloco comunitário, 30% vivem em zonas rurais. E a cadeia agroalimentar europeia emprega 40 milhões de pessoas.

A nova PAC para o período de 2023-2027 visa reforçar o contributo da agricultura para os objetivos ambientais e climáticos da UE, assegurar um apoio mais direcionado para as explorações agrícolas de menor dimensão e conferir aos Estados-Membros maior flexibilidade para adaptarem as medidas às condições locais.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.