Tempo
|
Em Nome do Voto
Este podcast Renascença vai dar conta do que se passa na campanha eleitoral dos partidos com assento parlamentar, para lá dos argumentos dos políticos. "Em Nome do Voto" vai ouvir os testemunhos de quem anda na campanha de rua, aprofundar temas que marcam a agenda da Renascença, vai ter análise política, e ainda espreitar as sondagens e a campanha nas redes sociais.
A+ / A-
Arquivo
Tic-tac. Municípios pedem solução rápida para eleitores em isolamento
Tic-tac. Municípios pedem solução rápida para eleitores em isolamento

Tic-tac. Municípios pedem solução rápida para eleitores em isolamento

13 jan, 2022 • Manuela Pires , Rodrigo Machado (imagem), Paulo Teixeira (sonorização)


A pouco mais de duas semanas do dia das eleições, ainda não se sabe se os isolados vão poder votar nas legislativas. Neste episódio do podcast Em Nome do Voto, ouvimos dois autarcas sobre como é que os isolados e os infetados podem exercer o direito de voto.

O Governo já avançou com uma estimativa: serão 380 mil eleitores em confinamento no dia das eleições.

A decisão está pendente do parecer da Procuradoria Geral da República. O governo quer saber se os eleitores podem suspender o isolamento para votar nas eleições legislativas.

No Em Nome do Voto, todas as quintas-feiras temos debate com Luísa Salgueiro, presidente da Associação Nacional de Municípios e presidente da Câmara de Matosinhos e Ribau Esteves, presidente da Câmara de Aveiro.

Os dois autarcas pedem que a decisão seja rápida e clara, para que os municípios possam avançar para os preparativos. A presidente da Associação Nacional de Municípios diz que as autarquias precisam de saber rapidamente com que linhas se cosem para preparar o dia das eleições.

Neste episódio, ainda o comentário de Henrique Monteiro ao combate de boxe das direitas, o debate entre André Ventura e Francisco Rodrigues dos Santos - um combate que incluiu até "cavalaria".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.