Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Como tem evoluído a proteção social em Portugal?

Da Capa à Contracapa

​Como tem evoluído a proteção social em Portugal?

27 set, 2022


Rui Branco, autor do livro "Proteção Social no Portugal Democrático, Trajetórias de Reforma", e o professor de Economia Política do ISCTE, Paulo Marques, são os convidados desta semana do programa Da Capa à Contracapa.

Um novo ensaio da Fundação Francisco Manuel dos Santos, “Proteção Social no Portugal Democrático, Trajetórias de Reforma”, escrito pelo investigador Rui Branco, especialista em políticas de proteção social e mercado de trabalho, é o mote para o Da Capa à Contracapa desta semana.

A evolução dos pilares da proteção social no nosso país até 2021, as pensões, o mercado de trabalho e o desemprego, a rede de mínimos e combate à pobreza, a proteção na infância e a conciliação entre trabalho e família ou o Serviço Nacional de Saúde, são temas para a conversa do jornalista José Pedro Frazão com o autor, Rui Branco, e o professor de Economia Política do ISCTE, Paulo Marques.

Como tem evoluído e para onde caminha a proteção social em Portugal? Descubra no Da Capa à Contracapa esta terça-feira depois das 23h15 na antena da Renascença ou em qualquer altura no site da Renascença, na Popcasts e noutras plataformas de podcasts.

O Da Capa à Contracapa é uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.