Tempo
|
Conversas Cruzadas
Programa sobre a atualidade que passa ao domingo, às 12h00.
A+ / A-
Arquivo
A contenção
A contenção
Conversas Cruzadas - A contenção

Conversas Cruzadas

A contenção

09 jan, 2022 • José Bastos


José Alberto Lemos, Nuno Botelho e Carvalho da Silva na análise do impacto da pandemia a 30 janeiro, debates na tv e invasão ao Capitólio.

O governo ampliou em mais uma semana a “contenção” ao avanço da pandemia depois das festas de Natal e Ano Novo, apenas com a notória exceção das escolas que reabrem amanhã e dos saldos das lojas que vão poder arrancar também esta segunda-feira.

As novas regras para isolamentos apresentam uma nota comum: aliviar a pressão sobre a economia. Os contactos com um infectado no local de trabalho não são considerados de risco, medida potencialmente positiva para setores fustigados pela ausência de trabalhadores como o pequeno comércio ou grande distribuição, além da construção civil e indústria.

Mas, claro, há ainda a questão chave de reduzir o impacto do confinamento nos resultados eleitorais, preocupação da classe política. O governo quer ter segurança jurídica para se proteger politicamente e pediu um parecer à PGR e pretende ouvir todos os partidos sobre os condicionamentos que podem afetar as eleições de 30 de janeiro – reunião ainda sem data agendada.

Mas a questão do limite imposto ao regime excecional e temporário para eleitores confinados não deveria estar já planeada e pronta a ser aplicada? Suspender por um dia medidas de saúde pública? Criar um sistema extraordinário de voto por correspondência, apelar à participação em larga escala de voto antecipado em mobilidade, não deveria ter sido prioritário?

A análise a estas questões é de Nuno Botelho, líder da ACP Câmara de Comércio e Indústria, Manuel Carvalho da Silva, professor do CES e do jornalista José Alberto Lemos a olharem também para os debates televisivos, o ataque informático à IMPRESA e um ano depois da invasão ao Capitólio.

Finlândia e Suécia na NATO
9 de maio
08 mai, 2022

9 de maio

O papel da ONU
01 mai, 2022

O papel da ONU

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.