Tempo
|
Euranet
Casa Comum
A política nacional e europeia em debate à quarta-feira às 13h05 e às 23h20
A+ / A-
Arquivo
Lucros excessivos em tempo de inflação

​Casa Comum

Governo estuda taxa sobre lucros excessivos das energéticas

27 jul, 2022 • Manuela Pires


O acordo europeu para poupar gás, a escalada da taxa de inflação, as medidas prometidas para apoiar famílias e empresas e o impasse em torno do novo aeroporto de Lisboa foram temas em destaque no Casa Comum desta semana.

O Governo vai ponderar a criação de uma taxa para os lucros excessivos das energéticas, afirma o deputado socialista Carlos Pereira, em declarações ao programa Casa Comum da Renascença.

Esta é uma das medidas que pode fazer parte do próximo Orçamento do Estado para 2023, sublinha o parlamentar do PS.

“A questão da taxa dos lucros excessivos, já houve vários membros do Governo que disseram aquilo que me parece razoável nesta altura. Está em análise a situação dos lucros das empresas que beneficiam extraordinariamente do contexto em que vivemos. Elas serão avaliadas no quadro do próximo Orçamento, não tenho dúvidas sobre isso. Não posso dizer que sim ou que não, mas essa avaliação está a ser feita pelo Governo”, afirma Carlos Pereira.

No programa Casa Comum da Renascença, o secretário-geral do PSD, Hugo Soares, acusa o Governo de inação perante o aumento do custo de vida dos portugueses e de estar “a arrecadar uma brutalidade de impostos que não lhe seriam devidos se não fosse o aumento dos preços”.

“O PSD defende que o Governo use imediatamente essa folga orçamental, porque é uma folga imoral, à custa do aumento generalizado dos preços, para acorrer às necessidades mais básicas dos portugueses, sobretudo os mais carenciados”, defende Hugo Soares.

A União Europeia chegou esta semana a um acordo, com algumas exceções, sobre poupança de gás, numa altura em que a Rússia já está a começar a fechar a torneira.

O secretário-geral do PSD acusa o Governo de nada ter feito para lutar pela interligação de gás natural através dos Pirenéus. Hugo Soares diz que esta era uma matéria que estava avançada no tempo do Governo de Passos Coelho

O dirigente social-democrata diz, no entanto, que o Governo português esteve bem ao contestar o plano inicial da comissão de um corte de 15%.






Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Correto
    08 ago, 2022 Paços 22:29
    Estuda, estuda, estuda...