Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Aura Miguel
Opinião de Aura Miguel
A+ / A-

Peregrino com os índios, sem rancores nem cancelamentos

30 jul, 2022 • Opinião de Aura Miguel


Francisco não esqueceu o grito dos que sofrem. Em todas as ocasiões e encontros manifestou dor e pesar e todos os dias pediu perdão aos indígenas e às vítimas de abuso.

O Papa usou expressões fortes como “indignação” e “vergonha” para condenar o que se passou no último século com as comunidades indígenas do Canadá. Encontrou-se pessoalmente com os seus representantes, em diferentes contextos, incluindo privadamente com sobreviventes das escolas residenciais, patrocinadas ao longo de cem anos pelo governo e confiadas maioritariamente a congregações católicas missionárias de origem francesa.

Todos os dias da visita, nas três zonas por onde se espalha o maior número de populações indígenas (Edmonton, Québec e Iqaluit), ouvimos o Papa proclamar sucessivos pedidos de perdão. Peregrinou por Edmonton e Maskwacis, foi ao Lago Saint’Anne, a Québec e a Iqaluit, no extremo norte, penitenciando-se “pelo mal cometido por muitos cristãos nas escolas residenciais e por terem contribuído para as políticas de assimilação cultural e de alforria”.

Para muitos indígenas, só a presença pessoal do Papa no Canadá foi um poderoso sinal. Outros, esperavam um pouco mais do que meras palavras. Todos, no entanto, reconhecem a complexidade de um processo, com investigações dolorosas ainda em aberto e com feridas de séculos.

“Que se progrida na busca da verdade e da reconciliação”, pediu o Papa à despedida. Porque esta visita foi apenas mais um passo num longo caminho de cura. Na verdade, é uma peregrinação que precisa da colaboração de todos, incluindo das novas gerações, para se poder “encarar a história sem rancores nem cancelamentos”, como afirmou antes de deixar as terras geladas de Iqaluit, em direção a Roma.

O que fica da viagem do Papa Francisco ao Canadá?
O que fica da viagem do Papa Francisco ao Canadá?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    02 ago, 2022 Funchal 19:17
    Na Igreja nunca deveriam haver crimes, apesar de sermos humanos e fracos, sabemos bem o que Deus quer de nós e Jesus veio ensinar-nos o caminho a seguir...