A+ / A-

Brasil quer duplicar turistas em cinco anos

12 abr, 2017 • Ana Carrilho


Instituto Brasileiro de Turismo tenta puxar turistas também na “época baixa” e uma das apostas são as Festas Juninas.

O Brasil quer receber 12 milhões de turistas em 2022, ou seja, quase o dobro dos 6,5 milhões que visitaram o país o ano passado. Essa é a meta apontada pelo Governo de Temer, que quer recuperar turistas e aproveitar a promoção conseguida com os grandes eventos mundiais: Jornada Mundial da Juventude, Campeonato do Mundo e Jogos Olímpicos.

“O turismo representa cerca de 9-10% do PIB brasileiro e arrasta consigo 52 actividades”, sublinha, em entrevista à Renascença, o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

Tufi Michreff admite que, por vezes, há coisas que não correm tão bem e há dificuldades. Como a insegurança ou a instabilidade social registada nas grandes metrópoles como o Rio de Janeiro ou São Paulo. Mas também faz questão de frisar que “há regiões do Brasil bem mais seguras que certos países da Europa”. Ainda assim, “o governo vai adoptar diversas medidas de apoio e incentivo à actividade turística, em que se inclui o reforço da segurança para os turistas, designadamente no Rio de Janeiro”.

“Brasil Junino” para captar turistas portugueses e europeus

Depois do Carnaval, as Festas Juninas são as manifestações culturais populares de maior impacto no Brasil, em quase todas as regiões, mas sobretudo no Nordeste. E é com elas que, este ano, a Embratur e o Instituto Brasileiro de Integração – Cultura, Turismo e Cidadania querem captar turistas portugueses e de outros países da Europa do Sul.

É por isso que decorre em Lisboa, desde o dia 7 e até ao Domingo de Páscoa (16 de Abril), uma mostra do “Brasil Junino” que inclui muita música popular, danças e gastronomia. Das 10h00 às 20h00 há muito para ver, ouvir, provar e viver no pavilhão de Portugal, no Parque das Nações. Festas de todo o país mas em que cada região tem a sua especificidade.

“Com esta promoção, o Brasil mostra assim a sua grande diversidade”, diz Tufi Michreff, com destaque para as festas de sete regiões: Campina Grande, em Paraíba; Curuacu, em Pernambuco; São Luís no Maranhão; Mossoró, no Rio Grande do Norte; Aracaju, em Sergipe; Ceilândia, em Brasília e o São João da Bahia.

O objectivo desta campanha é mostrar que o Brasil não é só sol e praia, refere Michreff à Renascença. Estas festas decorrem de Junho até Agosto – época baixa no Brasil – e os turistas europeus podem aproveitar para conhecer também um pouco mais da cultura popular do país.

Depois de Lisboa, a comitiva brasileira fará a apresentação em Madrid, Roma e termina, a 28 de Maio, em Paris. Dez dias em cada capital europeia.

No próximo ano a promoção da Embratur vai centrar-se no turismo religioso, que tem um grande impacto para o Brasil. O Santuário de Nossa Senhora Aparecida é o que recebe mais peregrinos mas há muitos outros pontos de interesse para os turistas de fé.

Sol e praia (ainda) é o que motiva viagens dos portugueses

Portugal, Itália, França e Espanha são os quatro maiores países emissores de turistas para o Brasil e cujos visitantes mais tempo lá permanecem.

O Brasil chegou a receber quase meio milhão de portugueses por ano mas em 2015 foram apenas 160 mil, que geraram 184 milhões de dólares de receita.

Mas, segundo as estatísticas do Ministério do Turismo, mais de metade dos portugueses que viaja para o Brasil fica em casa de familiares ou amigos e só um terço vai para hotéis, pousadas ou resorts.

O sol e praia continuam a ser a motivação mais forte (65%) para os turistas portugueses que viajam para o país. Os restantes apostam, quase igualmente, entre a cultura e o turismo de natureza.

Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Fortaleza são os destinos mais procurados e a quase totalidade dos turistas manifesta desejo de voltar a terras de Vera Cruz.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • tugatento
    12 abr, 2017 Amarante 11:36
    Sim, sim, com a segurança que la ha. Nao se pode andar a vontade na rua, tens 90% de probabilidades de seres assaltado e as vezes morto.
  • Carlos
    12 abr, 2017 Lisboa 02:16
    Vale a pena visitar o Brasil vim e adorei