Tempo
|
48k
Rubrica sobre tecnologia com a jornalista Cristina Nascimento para ouvir quarta-feira às 21h40 e sábado às 7h40.
A+ / A-
Arquivo
O que aprendi na Web Summit? O futuro é do metaverso e das criptomoedas
O que aprendi na Web Summit? O futuro é do metaverso e das criptomoedas

48k

O que aprendi na Web Summit? O futuro é do metaverso e das criptomoedas

10 nov, 2021 • Cristina Nascimento , André Peralta (sonorização)


Web Summit voltou a realizar-se em regime presencial. Milhares de pessoas no Altice Arens responderam, por exemplo, à pergunta "quem tem criptomoedas".

Aprende-se sempre muitas coisas na Web Summit e em muitas áreas, mas da edição deste ano, no que toca à tecnologia, destacam-se dois temas: metaverso e criptomoedas.

Há já vários anos que se fala na aposta em vidas paralelas no mundo digital, se calhar lembra-se do Second Life. Agora esta tendência parece voltar a ganhar força e quem sabe desta vez vinga mesmo. Certamente já ouviu falar em metaverso. Ora este mundo, à boleia da pandemia, tem dado que falar. Uma jovem cantora pop Zara Larsson foi ao Palco central contar como há uns meses fez o lançamento do seu álbum com quase quatro milhões de pessoas, sem sair da sua sala de estar. A experiência fá-la acreditar que este é o futuro, fazer concertos e conhecer fãs num mundo virtual.

Outra pessoa que falou de metaverso foi um responsável do Facebook. Chris Cox e o jornalista que falou com ele no palco central partilharam a experiência que tiveram recentemente sobre uma reunião a dois neste mundo digital. Ambos elogiaram a comodidade do sistema, embora também reconheçam falhas e como ainda é estranho falar de assuntos sérios neste ambiente. Chris Cox disse que esta ferramenta ainda vai evoluir e que vai ser significativamente melhorada

Quanto às criptomoedas, num dos painéis do palco central perguntaram aos milhares de pessoas que estavam no Altice Arena "quem tem criptomoedas". E quase toda a gente levantou a mão. É certo que o público na Web Summit é propício a ter criptomoedas, mas também parece certo que as moedas virtuais vieram para ficar e que, para milhões de pessoas, já representam uma forma alternativa de fazer render as poupanças.

Há aliás cada vez mais formas variadas de criptomoedas e investimentos financeiros digitais, já para não falar de centenas de aplicações que são porta-moedas-digitais e plataformas de transação deste tipo de ativos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.