Renascença Ouve +
A+ / A-

Dezembro é o mês dos “Direitos Humanos e Governação”


​2015: um ano para mudar o mundo

A Renascença associa-se ao Ano Europeu do Desenvolvimento e em cada mês destaca um tema para o qual todos devemos estar despertos. Em Dezembro o destaque vai para os “Direitos Humanos e Governação”.


Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Porque a Democracia e os Direitos Humanos são também os princípios orientadores da União Europeia, o ano não podia terminar sem um mês dedicado aos Direitos Humanos e Governação.

- Erradicar a pobreza e promover o desenvolvimento sustentável são objectivos dos estados membros. Em Portugal é o Instituto Camões, organismo destinado a trabalhar para a Cooperação para o Desenvolvimento, que tem a seu cargo esta promoção dos Direitos Humanos junto dos países parceiros. Vale a pena conhecer e colaborar com esses projectos!


- Quando há problemas de governação e violação dos direitos humanos, são os mais pobres e mais vulneráveis quem mais sofre. Manter a dignidade humana e lutar contra a pobreza, defender a igualdade e evitar conflitos, é também o objectivo da União Europeia, que dá apoio a vários projectos espalhados pelo mundo. Projectos que lutam contra a discriminação, asseguram o Estado de direito e constroem instituições justas e inclusivas.

São bons exemplos os Tribunais de aldeia no Bangladesh, a forma como os mais idosos fazem valer os seus direitos na Tailândia com a ajuda da Fundação para o Desenvolvimento dos Idosos e a HelpAge International. Ou ainda o trabalho da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, no Brasil. Vale a pena descobrir como existem meios alternativos e eficazes de exercer a justiça, humanizar penas, ajudar na reinserção de ex-reclusos!

Ano Europeu para o Desenvolvimento, um ano para mudar o mundo!


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.