Tempo
|

Renascença Ouve +
A+ / A-

Meditando, 3 de dezembro

3 de dezembro de 2015 • Teodoro A. Mendes


Meditando 3 de dezembro
Meditando 3 de dezembro

Benjamim Franklin,
que foi um homem atarefado,
para o qual, a ociosidade
era a mãe de todos os vícios
seguindo o axioma do Padre António Viera,
num certo dia, olhando em redor,
e vendo-se desocupado,
perguntou a si mesmo:
Que hei-de fazer?
Eis a pergunta, que amanhã,
num novo dia que vou ter
se o bom Deus o permitir,
me deve inquietar,
tomando-a como um desafio
à minha postura humana.
Que hei-de fazer?
Aqui mesmo: no escritório…
na oficina, na minha loja…
no meu lar…
na Igreja onde rezo a Deus todos os dias!
Que hei-de fazer?
Há tanta coisa para fazer
neste tempo de Advento,
em que não devo, apenas, esperar Jesus,
mas saber e sentir que tem de ser
com o exemplo d’Ele… que deu tudo,
incluindo a própria vida
que devo fazer coisas em favor do outro
neste pobre tempo que devo enriquecer…
se quero merecer Jesus
que vem ao meu encontro!


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.